Habitação

Câmaras passam a poder determinar encerramento de alojamento local

Fotografia: Orlando Almeida / Global Imagens
Fotografia: Orlando Almeida / Global Imagens

As câmaras podem determinar o encerramento temporário do alojamento local e o valor das multas. Os proprietários são obrigados a ter um seguro extra.

O novo regime do alojamento local, proposto pelo PS, foi a votação na especialidade esta manhã e saiu com voto positivo da maioria, e com os votos contra de PSD e CDS-PP. A partir de agora, os condomínios vão agravar as quotas para este tipo de atividade em 30% e as câmaras passam a poder, em conjunto com a ASAE, determinar o encerramento temporário ou valor das multas aos proprietários.

Os condomínios passam a poder designar ‘zonas de contenção’ para alojamento local, sendo que qualquer queixa terá que ser dirigida às câmaras. Os condomínios poderão aplicar estas quotas se houver frações no mesmo prédio a servir como alojamento local.

Além da intervenção dos municípios na regulação do alojamento local, os deputados aprovaram que “não pode haver lugar à instalação e exploração de hostels em edifícios em propriedade horizontal nos prédios em que coexista habitação sem autorização dos condóminos para o efeito”, proposta que teve votos contra do PSD e do CDS-PP.

A proposta do PS inclui ainda a obrigatoriedade dos proprietários de alojamento local terem um seguro extra, multirriscos, que cubra qualquer possível dano nas partes comuns do prédio de habitação. Passa a ser também obrigatório disponibilizar aos hóspedes um livro com todas as regras de funcionamento da habitação, em várias línguas. Por outro lado, os proprietários passam a ser totalmente responsáveis por todos os estragos causados pelos hóspedes.

Foi também deliberado que “a presente lei entra em vigor 60 dias após promulgação”, em vez de começar a ter efeito a partir de 2019. Esta proposta contou com o voto contra do CDS-PP e a abstenção do PSD.

A votação final do regime do alojamento local está agendada para esta quarta-feira.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
O governador do Banco de Portugal, Carlos Costa. (Fotografia: Mário Cruz/ Lusa)

Carlos Costa: “Não participei nos 25 grandes créditos que geraram perdas” à CGD

Pedro Granadeiro / Global Imagens

Reclamações. Anacom acusa CTT de divulgar informação enganosa

Paulo Macedo, presidente da CGD

CGD cumpre “com margem significativa” requisitos de capital do BCE

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Câmaras passam a poder determinar encerramento de alojamento local