Carlos César acusa Schäuble de "arrogância persistente"

O ministro das Finanças alemão agitou as águas em torno de Portugal ao dizer que o país ia precisar de outro resgate se não cumprisse as regras.

O presidente do PS criticou hoje as declarações contraditórias proferidas pelo ministro das Finanças alemão sobre um eventual segundo resgate a Portugal, considerando que são causa da existência de cada vez mais europeus contra essa "arrogância persistente".

Carlos César assumiu esta posição à agência Lusa, depois de confrontado com o facto de Wolfgang Schäuble, numa primeira notícia da Reuters, ter dito que Portugal iria pedir um segundo resgate, para depois se corrigir que o ministro das Finanças germânico apenas dizia que o país vai precisar de novo resgate se não cumprir as regras europeias.

O presidente do Grupo Parlamentar do PS não quis comentar a posição do ministro das Finanças da Alemanha do ponto de vista político ou financeiro, mas deixou o seguinte reparo: "Como se percebe, nem o próprio Wolfgang Schäuble percebeu o que disse e do que falava".

"É por estas e por outras que, infelizmente, há cada vez mais cidadãos europeus que se revelam contra essa arrogância persistente e insensata", acrescentou Carlos César.

O ministério das Finanças já reagiu a desmentir o ministro alemão, garantindo que não há novo resgate.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de