Carne mais cara a partir do verão por falta de porcos

Gripe A matou 12 mil pessoas
Gripe A matou 12 mil pessoas

“O preço da carne de porco vai subir no verão, porque a oferta vai ser
menor que a procura”, adiantou ao Dinheiro Vivo, Vítor Menino,
presidente da Federação Portuguesa da Associação de Suinicultores.

O problema, explica, “é que muitos produtores estão a abandonar a
atividade porque não estão a aguentar a subida dos custos à produção, só
as matérias primas subiram 25%, quando o preço dos animais só subiu
10%”, por isso, “estimo que no verão haverá menos porcos no mercado,
logo os preços finais vão subir”.

Apesar do aumento dos preços que já se verificou, Vítor Menino garante
que “a carne de porco continua a merecer a preferência dos consumidores
portugueses, porque tem um preço muito acessível”.

A mesma opinião tem o presidente da Associação de Comerciantes de Carne
de Portugal, Jacinto Bento, que diz que “os portugueses praticamente
deixaram de comprar carne de vaca, agora compram aves e porco, as mais
baratas”, mas mesmo assim, frisa, “compram menos que há um ano, há uma
quebra no consumo que levou ao encerramento de centenas de talhos em
todo o país”.

O setor, adianta “está a atravessar uma fase muito difícil, o consumidor tem menos dinheiro para gastar e optam sempre pelo mais barato”, além disso, diz Jacinto Bento, “também se compra menos nos talhos, as pessoas cada vez procuram mais refeições prontas”.

Francisco Moura, presidente da Federação Portuguesa de Bovinicultores,
não consegue explicar o aumento do preço da carne de vaca, porque diz,
“os preços pagos aos criadores continuam iguais, preços de há 6 anos,
mas para o consumidor final continuam a subir”.

Perante este cenário admite “que os consumidores deixem de comprar carne de vaca e aos criadores só resta uma opção, abandonar a atividade, porque com as rações a subir para o dobro não há quem aguente”.

Neste baralhar de preços, que levam os consumidores a procurar o mais
barato conta ainda a opinião da Federação Portuguesa das Associações
Avícolas, que refere que o setor também vive dificuldades, e diz o
presidente, Manuel Lima, “no mercado as outras carnes apresentam preços
mais baixos que o habitual e fazem concorrência direta à carne de aves”.

Além disso, acrescenta Manuel Lima, “os preços para a produção também têm aumentado, nos últimos três anos subiram na ordem dos 20%, quando a carne mantém o mesmo preço médio”.

Feitas as contas, nenhum dos setores de produção de carne em Portugal está a viver uma boa fase, e como sublinha Manuel Lima “a crise que estamos a atravessar afeta todos, temos dificuldade no acesso ao crédito o que dificulta o investimento e a somar a isso temos dificuldade em cobrar o que vendemos, logo temos dificuldades de tesouraria”.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Lisboa. MÁRIO CRUZ/LUSA

Défice externo até julho agrava-se para 1633 milhões de euros

Lisboa. MÁRIO CRUZ/LUSA

Défice externo até julho agrava-se para 1633 milhões de euros

EDP. (REUTERS/Eloy Alonso)

Concorrência condena EDP Produção a multa de 48 milhões

Outros conteúdos GMG
Carne mais cara a partir do verão por falta de porcos