Carta por pontos

Carta por pontos chega já na quarta-feira. Saiba o que muda

Fotografia: REUTERS/Michael Kooren
Fotografia: REUTERS/Michael Kooren

Carta por pontos chega esta quarta-feira e a maioria dos portugueses ainda não sabe como vai funcionar. Tudo sobre soma e perda de pontos aqui

É já esta quarta-feira, 1 de junho, que a carta de condução passa a valer pontos. O sistema altera as regras das coimas como atualmente as conhecemos e passa a funcionar como um jogo: cada contraordenação implica a perda de pontos; cada formação ou período de bom comportamento atribui pontos ao condutor.

Apesar de o novo sistema estar prestes a entrar em vigor, o desconhecimento ainda é generalizado: 72% dos inquiridos pela Seguro Direto sabe que a carta de condução vai ter mudanças, mas não faz ideia de quais são as principais alterações, o que implica a perda de pontos e o que pode aumentar os pontos de cada condutor.

Está neste grupo? Então leia (e aprenda) até ao fim:

Como funcionam as novas regras?
Cada condutor recebe 12 pontos. À medida que violar as regras do código da estrada vai perdendo pontos. E, quando já não tiver pontos fica sem carta. Se quiser pode voltar a tirá-la, mas terá de esperar dois anos até poder fazê-lo e, suportar todos os custos.

O que retira pontos?
– Crimes rodoviários
-6 pontos

– Contraordenações muito graves
Condução sob influência do álcool ou substâncias psicotrópicos: -5 pontos;
Excesso de velocidade dentro das zonas de coexistência (passagem de peões ou bicicletas) : -5 pontos;
Restantes contraordenações muito graves: – 4 pontos;

– Contraordenações graves
Condução sob efeito de álcool: -3 pontos;
Excesso de velocidade dentro de zonas de coexistência (passagens de peões ou bicicletas): -3 pontos;
Ultrapassagem imediatamente antes e nas passagens para peões e bicicletas: -3 pontos;
Restantes contraordenações graves: -2 pontos;

Podem ser retirados pontos por infrações diferentes praticadas em simultâneo?
Sim, mas as regras alteram-se. Em vez de retirados pontos na medida de cada infração, são retirados no limite seis pontos. A única exceção a esta regra é se entre as condenações por contraordenação grave ou muito grave também estiver em causa a condução sob efeito de álcool ou substâncias psicotrópicas, que levam a que sejam retirados os pontos respetivos – 3, 5, ou 6 pontos consoante seja grave, muito grave ou crime.

Tenho 4 ou 5 pontos. O que tenho de fazer?
Será obrigado a frequentar uma ação de formação sobre Segurança Rodoviária. E saiba que uma falta não justificada implica a perda da carta de condução.

Tenho 1, 2 ou 3 pontos. O que tenho de fazer?
Vai ter de ir a exame. Será submetido a um exame teórico de condução e também aqui a não-comparência implica a perda da carta.

O que dá pontos?
Três anos sem contraordenações graves, muito graves ou crimes: +3 pontos. Esta primeira atribuição acontecerá a 1 de junho de 2019, altura em que se vão comemorar três anos de carta por pontos;
Sempre que houver um período de revalidação de carta sem crimes e se o condutor frequentar ação de formação de forma voluntária: + 1 ponto;

Há um máximo de pontos a acumular?
Sim. O sistema que atribui pontos tem um teto máximo de 15 pontos, mas em casos de formação voluntária o máximo é 16 pontos.

Onde posso saber quantos pontos tenho?
Terá de se registar no Portal de Contraordenações Rodoviárias: portalcontraordenacoes.ansr.pt

O que acontece às infrações cometidas até 31 de maio?
O novo sistema só entra em vigor a partir de 1 de junho. Isto significa que até esta terça-feira, 31 de maio, todas as infrações são analisadas e punidas ao abrigo do regime anterior, sem perda de pontos.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Franceses da Altice concluíram aquisição da PT Portugal à Oi em junho por 5,7 mil milhões de euros

Porto. Trabalhadores da PT avançam com concentração esta quinta-feira

Estado leva endividamento da economia para novo máximo

Portugueses têm menos dinheiro

Proibidos pagamentos em dinheiro acima de 3.000 euros

Outros conteúdos GMG
Conteúdo Patrocinado
Carta por pontos chega já na quarta-feira. Saiba o que muda