Brexit

Cartas de Boris Johnson causam surpresa e perplexidade em Bruxelas

Fotografia: REUTERS/Henry Nicholls - RC122C9DD810
Fotografia: REUTERS/Henry Nicholls - RC122C9DD810

PM britânico causou "surpresa" e "perplexidade" em Bruxelas pela forma "caricata" como pediu à União Europeia para ficar mais três meses.

As duas cartas chegaram poucas horas após a aprovação no parlamento britânico, da chamada emenda Letwin, que obriga a que sejam aprovadas leis para aplicar o acordo do Brexit, antes de lhe dar luz verde. Na prática, o resultado é que o “meaningful vote” ao acordo de saída fica adiado, forçando o governo britânico a pedir uma nova extensão da permanência na União Europeia.

Foi isso que Boris Johnson fez. Este sábado, antes das 23h, informou o Conselho Europeu que “o Reino Unido procura uma nova extensão do período proporcionado pelo Artigo 50º”. Recorde-se que esse período é de dois anos, a contar a partir da data em que o dito artigo foi acionado por Londres, e já expirou a 29 de Março, tendo sido adiado, a pedido da anterior primeira-ministra, Theresa May, para 31 de outubro.

A realidade é que o primeiro-ministro que “preferia morrer numa valeta” a ter de pedir para adiar o Brexit veio requer à União Europeia que lhe conceda um período extra, até “31 de janeiro de 2020”, para continuar a fazer parte da União Europeia.

 

Leia o artigo completo na edição online do Diário de Notícias

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Turistas passeiam na baixa de Quarteira dia 19 de março de 2020. (LUÍS FORRA/LUSA)

Desemprego no Algarve triplica em maio por quebras no turismo

(MANUEL DE ALMEIDA/LUSA)

OE Suplementar: Oposição levou 263 propostas a votação, passaram 35

O primeiro-ministro, António Costa (E), conversa com o ministro de Estado e das Finanças, João Leão (D), durante o debate e votação da proposta do orçamento suplementar para 2020, na Assembleia da República, em Lisboa, 17 de junho de 2020. MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

O Orçamento Suplementar em 5 minutos

Cartas de Boris Johnson causam surpresa e perplexidade em Bruxelas