Arte

Sindika Dokolo comprou casa Manoel de Oliveira

Casa do Cinema Manoel de Oliveira, da autoria de Souto Moura. Fotografia: Global Imagens
Casa do Cinema Manoel de Oliveira, da autoria de Souto Moura. Fotografia: Global Imagens

Edifício comprado em hasta pública por 1,58 milhões de euros vai acolher a sede da Fundação Sindika Dokolo, do marido de Isabel dos Santos.

A Casa Manoel de Oliveira vai ser a nova sede da Fundação Sindika Dokolo para a Europa. O espaço foi comprado em hasta pública pela Sociedade Supreme Treasure por 1,58 milhões de euros.

A Fundação Sindika Dokolo foi fundada por Sindika Dokolo, marido da empresária Isabel dos Santos. Em Portugal, a Fundação já tinha realizado em 2015 a exposição “You Love Me, You Love Me Not” nos Jardins do Palácio de Cristal. Em março do ano passado, Dokolo recebeu ainda a medalha municipal do Mérito, Grau Ouro, atribuída pela Câmara Municipal, pelo seu contributo à cultura local.

 

“Ao estabelecer-nos num edifício como a Casa Manoel de Oliveira, em plena Foz portuense, estamos a afirmar a nossa intenção em contribuir para tornar o Porto ainda mais cosmopolita e mais cultural. Neste espaço vamos promover redes de reflexão artística e fortalecer laços entre Portugal e Angola, a Europa e África, numa ode à Arte enquanto elemento unificador de povos e países”, justifica Sindika Dokolo, presidente da Fundação, em comunicado.

Colecionador desde os 15 anos, Sindika Dokolo fundou em 2003 em Angola a Fundação, que além de reunir obras de arte contemporânea, visa criar condições para promover a integração dos artistas no circuito internacional. A coleção tem mais de 3 mil obras, entre pinturas, gravuras, fotografias, vídeos e instalações de 90 artistas oriundos de 25 países. ARCO (Madrid), Bienal de Veneza (Veneza) e o Espaço OCA (São Paulo) são alguns dos espaços internacionais que já receberam a coleção.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Mário Centeno, ministro das Finanças. Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA / LUSA

Centeno diz que abrandamento da economia esconde muitas coisas boas

Cristina Casalinho, presidente do IGCP

Portugal paga menos de 2% na última emissão de dívida do ano

Terminal (Naviport) do Porto de Setúbal com milhares de carros da Autoeuropa que estão bloqueados esta semana com a paralisação dos estivadores do Porto de Setúbal.
(A-gosto.com/Global Imagens).

Autoeuropa tem 5000 carros parados no porto de Setúbal

Outros conteúdos GMG
Sindika Dokolo comprou casa Manoel de Oliveira