Casamentos, divórcios e partilhas vão ficar mais caros

Casamentos mais caros
Casamentos mais caros

Os portugueses vão passar a pagar mais pelos serviços e registos, como casamentos, divórcios e partilhas, nas conservatórias públicas. As alterações foram publicadas ontem em Diário da República e vão entrar em vigor a partir de 1 de Outubro.

Os divórcios com partilha de bens vão passar dos 550 actuais para os 625 euros e o cônjuge que adquirir e registar um imóvel vai passar a pagar mais 125 euros pelo registo e 30 euros por imóvel. Actualmente os casais só pagam 25 euros pelo registo e pela transmissão a partir do quinto imóvel.

Mas também há novidades nos casamentos. Um registo de casamento não urgente aumenta 10 euros para os 200 e uma convenção antenupcial vai sofrer um aumento de 60 euros passando a custar 160.

Nas partilhas também vão haver alterações, com a partilha de bens por morte a passar dos 300 para os 425 euros, somando 30 euros por cada imóvel. A habilitação de herdeiros vai passar a custar 150 euros.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
epa05492274 A handout picture provided by Intel Corp. on 17 August 2016 shows Intel CEO Brian Krzanich (L) and Technical Marketing Engineer Craig Raymond (R) demonstrating the Project Alloy virtual reality headset during a presentation at the Intel Developer Forum in San Francisco, California, USA, 16 August 2016.  EPA/INTEL CORPORATION/HANDOUT  HANDOUT EDITORIAL USE ONLY/NO SALES

Project Alloy. Não é realidade virtual, é realidade misturada

Catarina Martins diz que 2017 será o ano do "combate às rendas, na saúde e como na energia".

Catarina Martins: “Nenhum passo atrás e nenhuma transigência”

Rui Freire conta com experiência na Microsoft, grupo Havas e Global Media Group. Fotografia: DR

Rui Freire passa da Microsoft para o grupo Omnicom

Reabilitação urbana a crescer

Reabilitação urbana volta a crescer em julho

Fotografia: REUTERS/ Lucy Nicholson

Estes são os atores mais bem pagos do mundo, segundo a Forbes

arranjar emprego

Gig economy. A nova moda do mercado laboral não serve a Portugal

Conteúdo Patrocinado
Casamentos, divórcios e partilhas vão ficar mais caros