Imobiliário

Casas do centro histórico do Porto valorizam 146% em sete anos

Fotografia: DR.
Fotografia: DR.

Entre 2009 e o início de 2011, os preços naquela zona chegaram a cair 5%, segundo a Confidencial Imobiliário.

É uma das zonas do país onde o aumento do preço das casas tem sido mais sentido. O primeiro semestre de 2018 não foi exceção. O centro histórico do Porto valorizou 14,6% entre janeiro e junho face ao mesmo período do ano passado, segundo os números revelados esta quarta-feira pela Confidencial Imobiliário.

A subida foi a mais elevada dos últimos dois anos e meio. No semestre anterior o aumento tinha ficado pelos 10,3%.

A plataforma que analisa as transações de imóveis no país destaca que o preço das casas no centro histórico do Porto começou a subir a partir do segundo semestre de 2011, e concluiu que nos últimos sete anos “a valorização acumulada do território se situa em 146%”.

Entre 2009 e o início de 2011, os preços naquela zona chegaram a cair 5%.

Na análise semestral que fez à cidade do Porto, a Confidencial Imobiliário salienta que apesar das subidas consideráveis, “o ritmo de valorização do Centro Histórico é já há dois anos mais lento do que o registado para o total da cidade”.

Em todo o concelho do Porto, os preços das casas dispararam 24% no segundo trimestre de 2018. No final do ano passado o crescimento tinha sido de 11,4%.

Ainda assim, os preços do centro histórico são 97% superiores aos registados no total da cidade.

O estudo da plataforma também concluiu que “os preços residenciais no concelho ainda não recuperam face ao período pré-crise (em 2007), do qual se mantêm 1,4% abaixo”.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
A ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho. ANTÓNIO PEDRO SANTOS/LUSA

1400 empresas já pediram para aderir ao novo lay-off, apoios só a 28 de abril

Algarve, Portugal. Fotografia: D.R.

Algarve lança campanha. “Fiquem em casa para regressarem com mais saudade”

Veículos da GNR durante uma operação stop de sensibilização para o cumprimento do dever geral de isolamento, na Autoestrada A1 nas portagens dos Carvalhos/Grijó no sentido Sul/Norte, Vila Nova de Gaia, 29 de março de 2020. MANUEL FERNANDO ARAÚJO/LUSA

Mais de 80 detidos e 1565 estabelecimentos fechados

Casas do centro histórico do Porto valorizam 146% em sete anos