Habitação

Casas dos centros históricos deixam em definitivo de pagar IMI

Houve 23 vistos concedidos que visam o investimento em reabilitação urbana. Foto: Fábio Poço/Global Imagens
Houve 23 vistos concedidos que visam o investimento em reabilitação urbana. Foto: Fábio Poço/Global Imagens

Circular com ordem para não cobrar chegou às repartições de Finanças. Moradores clamam vitória, depois de uma década de cobranças ilegais.

Os proprietários de prédios em centros históricos classificados pela UNESCO já têm a isenção de imposto municipal sobre imóveis (IMI) reconhecida pelas repartições das Finanças. Isto significa que os moradores das zonas classificadas pela organização no Porto, Guimarães, Évora, Sintra, Angra do Heroísmo, Óbidos e Elvas já não têm de recorrer aos tribunais para ver reconhecido o direito a não pagar IMI.

Leia mais na edição premium do Jornal de Notícias.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
O ministro das Finanças, Mário Centeno. Fotografia: JOSÉ SENA GOULÃO/LUSA

Centeno mantém crescimento de 1,9% este ano. Acelera para 2% no próximo

O ministro das Finanças, Mário Centeno. Fotografia: José Sena Goulão/Lusa

Dívida pública desce mais devagar do que o previsto

desemprego Marcos Borga Lusa

Taxa de desemprego nos 5,9% em 2020. A mais baixa em 17 anos

Outros conteúdos GMG
Casas dos centros históricos deixam em definitivo de pagar IMI