Imobiliário

Casas: Porto não acompanha recuperação dos preços

No Porto, em 2015, preços por m2 só subiram na freguesia que abrange as zonas da Cedofeita, Santo Idelfonso, Sé, Miragaia, São Nicolau e Vitória.

O mercado imobiliário tem vindo a mostrar alguns sinais de recuperação. Nas mediadoras celebra-se novamente o melhor ano de sempre, com aumentos de 30% na faturação, e o número de casas vendidas em Portugal terá sido de 111 mil em 2015, segundo as estimativas da associação das mediadoras. É mais 32% que as 84 mil vendidas no ano anterior e o melhor ano desde 2009, quando se venderam quase 130 mil casas. Contudo, os preços ainda não estão a acompanhar esta tendência e só mesmo em algumas cidades é que estão a recuperar. É o caso de Lisboa, mas não do Porto.

De acordo com os dados do Confidencial Imobiliário (CI), uma empresa que analisa o mercado imobiliário, em Lisboa os preços das casas subiram 9% em 2015 face a 2014, estando agora nos 2765 euros por metro quadrado (m2). Mas no Porto, os preços caíram 1,8% para 1741 euros por m2. Ou seja, não só continuou a tendência de descida que se verifica desde 2008 como atingiu um dos valores mais baixos dos últimos oito anos.

Além disso, enquanto que em Lisboa os preços subiram em quase todas as freguesias da cidade, em algumas até 30%, no Porto desceram em todas exceto numa: a que abrange a Cedofeita, Santo Idelfonso, Sé, Miragaia, São Nicolau e Vitória. Aqui, segundo os mesmos dados do Confidencial Imobiliário, que se referem aos valores pedidos pelos proprietários e não aos da compra efetiva, os preços subiram 4,4% para 1671 euros por m2. Mas mesmo assim estão longe dos 1722 euros por m2 que se pediam em 2008, o último ano bom do imobiliário antes da crise e dos preços começarem a descer.

De facto, na Área Metropolitana do Porto, os dados do Confidencial Imobiliário mostram uma descida dos preços de 30% entre 2015 e 2008, ou seja, uma das mais acentuadas do país. E se analisarmos a zona Norte, a queda é ainda maior: 33,4%. Mas, como referido, estes são valores pedidos na amostra utilizada pelo CI e não os finais. Se se cruzar com os valores da avaliação bancária divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), no Norte o preço por m2 era de 923 euros no final de 2015, muito mais que os 601 euros por m2 estimados pelo Confidencial.

Isto pode também mostrar que os proprietários estão a pedir preços abaixo do valor de mercado, ou seja, que as casas estão mesmo mais baratas que em anos anteriores. Por exemplo, na zona de Massarelos, uma casa custa agora 2036 euros/m2, o que significa que um apartamento com 100 m2 (área média para um T2) ficará por pouco mais de 203 mil euros. Em 2008, a mesma casa podia chegar aos 215 mil euros. E no Bonfim, um apartamento pode custar agora 148 mil euros, quando em 2008 podia ir até aos 160 mil.

Preços descem em Braga e sobem em Guimarães

De acordo com os dados do Confidencial Imobiliário, em 2015 os preços das casas desceram em Braga depois de terem recuperado em 2014. Os valores rondam agora os 871 euros/m2 o que compara com os 890 euros do ano anterior e com os 939 euros de 2008. Já em Guimarães, os preços subiram em 2015, mas apenas uns ligeiros 1,7%, passando de 783 para 797 euros/m2. Contudo, estão ainda longe dos 951 euros que eram pedidos em 2008. Ainda assim, notam-se subidas significativas como na freguesia do Serzedelo, onde o preço por m2 passou de 742 para 864 euros.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Mário Centeno

Centeno volta a cativar mais dinheiro

Natalidade. Fotografia: Pedro Granadeiro / Global Imagens

Despesa com apoios à família é a quinta mais baixa da UE

Foto: D.R.

Easyjet. Ligações de Portugal com Itália não serão afetadas, por enquanto

Casas: Porto não acompanha recuperação dos preços