Cavaco com “muita esperança” em economia mais dinâmica depois da crise

Cavaco elogia empresários portugueses
Cavaco elogia empresários portugueses

O Presidente da República disse hoje ter "muita esperança" que da crise que Portugal atravessa saia uma economia mais dinâmica, mais sustentável e competitiva, exortando os portugueses a não 'baixarem os braços'.

“Eu tenho de facto muita esperança de que desta crise saia uma economia mais dinâmica, mais sustentável, mais integrada nos mercados internacionais e mais competitiva”, afirmou o chefe de Estado, Aníbal Cavaco Silva, numa intervenção no final de uma visita ao Centro Interpretativo do Vale Glaciar do Zêzere, em Manteigas, na Serra da Estrela.

Elogiando a forma como os empresários portugueses enfrentaram as “adversidades”, alterando modelos de negócios, procurando novas estratégias de produção e comercialização, Cavaco Silva exortou os portugueses a não baixarem os braços.

“Não podemos baixar os braços”, apelou.

A este propósito, o Presidente da República destacou o exemplo das duas fábricas de burel que visitou esta tarde em Manteigas – a Ecolã e Burel Factory – enaltecendo a forma como os empresários apostaram da recriação e na reinvenção de um produto artesanal produzido a partir da lã dos rebanhos da Serra da Estrela.

“Precisamos de mais produtos como o burel, produtos genuínos, únicos e produtos bem portugueses”, disse, incentivando a que se aproveitem as coisas que são tipicamente portuguesas e que constituem um “nicho de mercado que está claramente à disposição”.

“Há riquezas no interior, há produtos endógenos no interior, há valores culturais e valores históricos no interior que podem ser aproveitados”, frisou.

No seu breve discurso, o chefe de Estado recordou as vezes anteriores em que esteve em Manteigas, confidenciando que esta vila que está “no coração da Serra da Estrela” está associada a momentos “muito particulares” da sua vida.

Desde logo, lembrou, ao “momento mais importante”, o casamento, já que foi em Manteigas que passou a lua-de-mel, dias antes de embarcar para África.

Depois, Manteigas foi também o sítio escolhido para “refletir” no programa do seu primeiro Governo, em 1985.

O Presidente da República, que de Manteigas seguiu para a cidade da Guarda, onde irão ter início na segunda-feira as comemorações oficiais do 10 de Junho, não falou aos jornalistas à margem das visitas que efetuou às fábricas de burel e ao centro interpretativo.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
O ministro das Finanças, Mário Centeno. Fotografia: MIGUEL A. LOPES/LUSA

Governo reconhece progressões a 344 mil trabalhadores, pelo menos

Faria de Oliveira, presidente da APB

APB garante que bancos vão refletir Euribor negativa nos créditos à habitação

Donald Trump, Presidente dos Estados Unidos. REUTERS/Leah Millis

Trump põe tudo na mesa. Parada na guerra com China sobe para 500 mil milhões

Outros conteúdos GMG
Cavaco com “muita esperança” em economia mais dinâmica depois da crise