OE 2017

CDS-PP confronta Governo com dificuldades de utentes em ter recibos com NIF

Recibos em papel dão lugar aos digitais
Recibos em papel dão lugar aos digitais

Em causa está a dedução de IVA dos pagamentos respeitantes a passes modais e intermodais introduzida com a aprovação do Orçamento de Estado para 2017.

O CDS-PP questionou hoje o ministro do Ambiente sobre dificuldades dos utentes dos transportes públicos das áreas metropolitanas de Lisboa e Porto para obter recibos com número de identificação fiscal (NIF) para dedução no IVA.

“Quais as medidas que o Ministério do Ambiente tomará para resolver os problemas detetados e quando estarão os operadores preparados para colocação do NIF no recibo, exatamente no momento da compra”, questionaram os deputados Hélder Amaral e Pedro Mota Soares.

Em causa está a dedução de IVA dos pagamentos respeitantes a passes modais e intermodais introduzida com a aprovação do Orçamento de Estado para 2017, que estão a gerar reclamações, pelas dificuldades colocadas aos utentes, como serem apenas disponibilizadas as faturas em algumas estações de metro, no caso de Lisboa, por exemplo.

Os deputados referem-se também a dificuldades no Porto, já refletidas na comunicação social, em que as máquinas do Andante não permitem inserir o número de identificação fiscal (NIF).

“As novas plataformas tecnológicas permitem acesso facilitado a uma série de informação e têm facilitado a vida de muitos contribuintes através do portal e-fatura, mas, e considerando que nos transportes públicos há muitos utilizadores idosos que nem acesso têm a estas novas formas de comunicação, não pode o estado, e quem tem obrigações de fiscais, descorar a possibilidade de oferecer documentos em suporte físico”, sustentam os deputados do CDS-PP.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
O primeiro-ministro, António Costa (E), conversa com o ministro de Estado e das Finanças, Mário Centeno (D), durante o debate parlamentar de discussão na generalidade do Orçamento do Estado para 2020 (OE2020), esta tarde na Assembleia da República, em Lisboa, 09 de janeiro de 2020. MIGUEL A. LOPES/LUSA

Subida do PIB em 2019 chega aos 2,2% com revisão nas exportações de serviços

Fotografia: TIAGO PETINGA/LUSA

Novo Banco prevê redução de 1,7 mil milhões de malparado em 2020

Sede do Novo Banco, ex-BES, na Avenida da Liberdade.
(Ângelo Lucasl / Global Imagens )

Novo Banco não afasta que possa vir a pedir mais capital ao Fundo de Resolução

CDS-PP confronta Governo com dificuldades de utentes em ter recibos com NIF