Eurogrupo

Centeno diz que acordo sobre seguro comum de depósitos “está agora ao alcance”

Mário Centeno, ministro das Finanças e presidente do Eurogrupo. EPA/JULIEN WARNAND
Mário Centeno, ministro das Finanças e presidente do Eurogrupo. EPA/JULIEN WARNAND

A Alemanha tem sido um dos principais opositores, mas, no início de novembro, o ministro das Finanças alemão, Olaf Scholz, manifestou-se favorável a um sistema de garantia de depósitos europeu, considerando fundamental terminar com anos de impasse e concluir a União Bancária

O presidente do Eurogrupo, Mário Centeno, afirmou esta segunda-feira, perante o Parlamento Europeu, em Bruxelas, que tem havido progressos nas discussões técnicas sobre o sistema europeu de garantia de depósitos e considerou que um acordo político “está agora ao alcance”.

“Temos desenvolvido um importante trabalho técnico sobre o Sistema Europeu de Garantia de Depósitos para abrir caminho a um acordo que, na minha perspetiva, está agora ao alcance”, declarou Centeno, no primeiro “diálogo económico” da nova legislatura com os eurodeputados da comissão de Assuntos Económicos e Financeiros do Parlamento Europeu.

Considerado um dos três pilares da União Bancária, este sistema (EDIS, na sigla em inglês) tem conhecido poucos progressos nos últimos anos, muito por ‘culpa’ da oposição da Alemanha, mas, atendendo a recentes sinais de Berlim, este cenário pode mudar em breve, tendo Centeno comentado a propósito que “a iniciativa da Alemanha, no início deste mês, foi da maior importância, e levou a uma discussão construtiva e a uma mudança no estado de espírito em torno deste tema”.

No início de novembro, o ministro das Finanças da Alemanha, Olaf Scholz, manifestou-se favorável a um sistema de garantia de depósitos europeu, considerando fundamental terminar com anos de impasse e concluir a União Bancária, promovendo a integração financeira europeia.

Na sua intervenção perante a comissão parlamentar de Assuntos Económicos, Mário Centeno disse esperar também um “ímpeto renovado por parte da nova Comissão Europeia”, liderada por Ursula von der Leyen – que já assumiu a conclusão da União Bancária como uma das suas prioridades -, “e também, claro, do novo Parlamento Europeu”, para que se chegue enfim a um entendimento sobre esta “peça fundamental do ‘puzzle'” da União Bancária.

“Estamos agora a aproximar-nos de um ‘roteiro’ para iniciar discussões políticas sobre uma garantia de depósitos comum”, afirmou.

O sistema europeu de garantia de depósitos serviria de cobertura complementar aos sistemas de garantia constituídos a nível nacional, permitindo assim aos governos da zona euro respeitarem a obrigação legal de proteger depósitos até 100.000 euros em caso de falência de um banco.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Lear Corporation

Há mais de 800 mil portugueses a trabalhar por turnos

Alexandra Leitão, ministra da Modernização do Estado e da Administração Pública. (António Pedro Santos / Lusa)

Governo vai reservar verba para financiar pré-reformas no Estado

Rui

“Se Rui Rio ganhar as eleições do PSD este Governo dura quatro anos”

Outros conteúdos GMG
Centeno diz que acordo sobre seguro comum de depósitos “está agora ao alcance”