Coronavírus

Centro de Informação do Facebook disponível em Portugal “nos próximos dias”

A woman looks at the Facebook logo on an iPad in this photo illustration taken June 3, 2018. REUTERS/Regis Duvignau/Illustration - RC11EA6D5A50
A woman looks at the Facebook logo on an iPad in this photo illustration taken June 3, 2018. REUTERS/Regis Duvignau/Illustration - RC11EA6D5A50

O Facebook vai disponibilizar em Portugal "nos próximos dias" o seu Covid-19 Information Center, que inclui atualizações em tempo real.

Este centro, lançado no dia 18 e alguns países, insere-se no âmbito das iniciativas da rede social no combate à desinformação, nomeadamente numa altura em que o mundo enfrenta a pandemia do novo coronavírus.

“Na semana passada lançámos o Centro de Informação Covid-19 (…), que inclui atualizações em tempo real das autoridades nacionais de saúde e de organizações globais, como a Organização Mundial de Saúde (OMS)”, refere o Facebook, num comunicado.

Este centro “vai estar disponível a nível global em breve”, sendo que em Portugal vai começar a ser disponibilizado “nos próximos dias”, segundo o Facebook.

“No seguimento destes esforços do Facebook e Instagram, direcionámos mais de mil milhões de pessoas para recursos de autoridades de saúde, incluindo a OMS — mais de 100 milhões dos quais ‘clickaram’ para saber mais”, adiantou a rede social, no comunicado.

O Facebook acrescenta que também está a dar todos anúncios gratuitos que sejam necessários à OMS, bem como a autoridades de saúde, para que possam fazer chegar informação oportuna às pessoas.

Além disso, as pessoas podem subscrever no WhatsApp (que pertence ao Facebook) os alertas da OMS, um relatório diário com os últimos dados dos casos do novo coronavírus.

“Inclui ainda dicas em como prevenir a propagação da doença, bem como as respostas a perguntas frequentes”, aponta.

“Estamos a trabalhar diretamente com os ministros da Saúde no Reino Unido, Índia, Indonésia, Singapura, Israel, África do Sul e outros países para fornecer informação similar de atualizações de saúde específicas desses países”, adianta o Facebook.

“Na semana passada, mais de 100 milhões de mensagens foram enviadas por estas organizações para os utilizadores do WhatsApp”, acrescentou.

Além disso, a rede social doou um milhão de dólares à rede internacional de verificação de factos (‘International Fact-Checking Network) para expandir a presença no WhatsApp, para que as pessoas possam submeter rumores que encontrem aos “‘fact-checkers'”.

A informação sobre este tema encontra-se disponível no seguinte endereço: whatsapp.com/coronavirus.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
(Fotografia: Pedro Granadeiro / Global Imagens )

Vendas de carros descem 71,6% em maio

O primeiro-ministro, António Costa. Fotografia: António Cotrim/Lusa

PIB pode registar quebra entre 9% a 15% em 2020

Lisboa, 25/05/2016 - Aspecto do Palco Mundo, durante uma reportagem do Diário de Notícias sobre o que acontece nos dias em que no Festival Rock in Rio não há concertos.

( Gustavo Bom / Global Imagens )

APSTE: Setor dos eventos com prejuízos de 20 milhões no segundo trimestre

Centro de Informação do Facebook disponível em Portugal “nos próximos dias”