Comércio online

Cetelem: Tempo de espera e devoluções são os problemas do comércio online

online-sales-2108028_1920

68% dos portugueses não faz compras online. A falta de informação e os constrangimentos na entrega das encomendas são vistos como aspetos negativo.

O comércio online está a crescer em Portugal, mas para os portugueses que já aderiram a esta prática o maior problema é o tempo que esperam até receber o produto, e a dificuldade em fazer devoluções. Quem o diz é o estudo do Observador Cetelem eCommerce, que confirma a opinião dos 38% dos portugueses que fizeram compras através da internet durante o ano passado. O consumidor português de lojas online tem entre 25 e 44 anos, integra a classe média alta e tende a ser masculino, revela o estudo.

O estudo do Cetelem revela que 26% dos consumidores nacionais prefere ver e e tocar o produto antes de o adquirir, e 32% tem medo dos danos que o transporte podem causar na encomenda. A necessidade de levantar as encomendas nos correios, e os constrangimentos que acarreta, foi outra das razões apontadas.

De forma geral, refere o estudo, os portugueses ainda não confiam totalmente nos produtos vendidos na internet. Os portugueses acham ainda que há falta de informação sobre o que está a ser vendido, e por isso 24% refere ter menos confiança na qualidade dos produtos. Por outro lado, 35% dos portugueses sente segurança no modo de pagamento das compras online e 16% dos consumidores está totalmente satisfeito.

Segundo a Cetelem, o facto de 68% dos portugueses não fazer compras na internet, deve-se à população envelhecida e com fraco acesso às tecnologias, principalmente fora dos grandes centros urbanos.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
O primeiro-ministro critânico, Boris Johnson, (E) recebe a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen (D) no n.º 10 de Downing Street em Londres.  EPA/ANDY RAIN

Empresas portuguesas têm curso online sobre o brexit

Ilustração: Vítor Higgs

Espanhóis e chineses na corrida para entrar no capital do EuroBic

Procurador-Geral da República de Angola, Hélder Pitta Grós (EPA/MARIO CRUZ)

PGR angolano afasta mais arguidos portugueses no caso Isabel dos Santos

Cetelem: Tempo de espera e devoluções são os problemas do comércio online