Comércio internacional

Champanhe, queijo e malas. EUA ponderam tarifas a 100% sobre bens franceses

Donald Trump, presidente norte-americano. REUTERS/Kevin Lamarque - RC17F540F180
Donald Trump, presidente norte-americano. REUTERS/Kevin Lamarque - RC17F540F180

Donald Trump defende que a taxa de serviços tecnológicos do país discrimina as empresas norte-americanas como o Facebook, Google, Apple e Amazon.

O executivo de Donald Trump propôs a imposição de taxas aduaneiras a 100% sobre 2,4 mil milhões de dólares em bens franceses, depois de concluir que a taxa de serviços tecnológicos do país discrimina as empresas norte-americanas, incluindo a Google, Apple, Facebook e Amazon.

De acordo com o Financial Times, a proposta surgiu depois de um dia marcado pelo escalar das tensões entre os Estados Unidos e os seus aliados chave, que começou com o anúncio de que Washington irá repor as tarifas nos metais provenientes da Argentina e do Brasil devido às suas políticas monetárias.

Adicionalmente, a Casa Branca anunciou que está a ponderar alargar o âmbito das tarifas punitivas sobre produtos da União Europeia, incluindo bens do Reino Unido, França, Espanha e Alemanha, uma vez que as subsidiárias da Airbus (localizadas nestas geografias) foram consideradas como ilegais pela Organização Mundial do Comércio (OMC).

As tarifas americanas serão impostas depois de um período de consulta pública, no início de 2020, e poderão afetar produtos como o champanhe, queijos, malas e maquilhagem, indica a Bloomberg. A agência noticiosa cita um representante do comércio externo dos Estados Unidos, que acrescenta que o executivo está a estudar a abertura de investigações sobre taxas digitais semelhantes em países como Áustria, Itália e Turquia.

Esta decisão constitui um passo atrás depois dos esforços para parar a escalada do conflito sobre a taxa digital. Donald Trump e o presidente francês, Emmanuel Macron, concordaram em agosto procurar um acordo, mas o prazo de 90 dias para as negociações terminou na semana passada sem alguma conclusão.

O tema deverá ser uma prioridade durante o encontro entre os dois chefes de estado, esta terça-feira, à margem da conferência da NATO, em Londres.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
O primeiro-ministro, António Costa (E), conversa com o ministro de Estado e das Finanças, João Leão (D), durante o debate e votação da proposta do orçamento suplementar para 2020, na Assembleia da República, em Lisboa, 17 de junho de 2020. MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Bruxelas agrava projeção de contração em Portugal para 9,8%

Fotografia: Orlando Almeida/ Global Imagens.

SATA pede auxílio ao Estado no valor de 163 milhões de euros

Comissão Europeia, Bruxelas (REUTERS)

Bruxelas revê estimativas. Economia da zona euro deverá recuar 8,7% em 2020

Champanhe, queijo e malas. EUA ponderam tarifas a 100% sobre bens franceses