Guerra comercial

China e EUA concordam em cancelar tarifas de forma faseada

Trump Xi China
Donald Trump, presidente dos Estados Unidos, e Xi Jinping, presidente da China. Foto: Reuters

As duas maiores potências mundiais concordaram cancelar algumas tarifas para que ambos os lados cheguem a um acordo comercial de "primeira fase".

Nas últimas semanas, a China e os Estados Unidos concordaram em cancelar as tarifas impostas durante os meses de guerra comercial de forma faseada, informou o Ministério do Comércio chinês.

Aquelas que são as duas maiores potências do mundo devem cancelar simultaneamente algumas tarifas sobre os produtos para que ambos os lados cheguem a um acordo comercial de “primeira fase”, disse Gao Feng, porta-voz do Ministério do Comércio, citado pela Reuters. O cancelamento destes impostos é uma condição importante para que haja qualquer acordo, referiu. A proporção de tarifas a serem canceladas deve ser igual para ambos os países.

“A guerra comercial começou com as tarifas e deveria terminar com o cancelamento das mesmas”, disse, não adiantando, contudo um calendário.

Um fonte próxima disse à agência noticiosa que os negociadores chineses queriam que o Executivo de Donald Trump reduzisse as taxas alfandegárias de 15% sobre cerca de 125 mil milhões de dólares em produtos chineses, em vigor desde 1 de setembro.

Mas a China também procura o alívio das taxas impostas anteriormente de 25% sobre 250 mil milhões de dólares.

Os planos de Trump e Xi Jinping para assinar o que o presidente dos Estados Unidos chamou de acordo de “primeira fase” na cimeira de Cooperação Económica da Ásia-Pacífico no Chile, a 17 de novembro, foram desviados pelo cancelamento do evento devido aos distúrbios civis no país. As autoridades tentam agora encontrar locais alternativos. No entanto, a assinatura ainda pode acontecer este mês.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Indústria do calçado. 
Fotografia: Miguel Pereira/Global Imagens

Portugal regressou ao Top 20 dos maiores produtores de calçado

Sonae Industria

Ações da Sonae Indústria e da Sonae Capital disparam após OPA da Efanor

Alexandre Meireles, presidente da ANJE. Fotografia:  Igor Martins / Global Imagens

ANJE teme que 2021 traga “grande vaga” de falências e desemprego

China e EUA concordam em cancelar tarifas de forma faseada