China mantém posição: Tarifas devem ser reduzidas para se chegar a um acordo

A concretização de um acordo de primeira fase entre as duas maiores potências mundiais era esperada em novembro.

As tarifas devem ser reduzidas se a China e os Estados Unidos pretendem chegar a um acordo comercial, defendeu o ministro do comércio chinês, esta quinta-feira, mantendo a sua posição de que algumas tarifas norte-americanas devem recuar para um acordo de primeira fase.

"A China acredita que se ambos os lados alcançarem um acordo de primeira fase, as tarifas devem ser reduzidas em conformidade", disse o porta-voz do ministério, Gao Feng, acrescentando que ambos os países mantêm a comunicação, revela a Reuters.

A concretização de um acordo de primeira fase entre as duas maiores potências mundiais era esperada em novembro, depois de surgir uma nova ronda de tarifas, a serem aplicadas a partir de 15 de dezembro, pelos Estados Unidos sobre 156 mil milhões de importações chinesas.

As delegações responsáveis pelo comércio de ambos os lado permanecem fechados em discussões, enquanto as tensões bilaterais escalam sobre problemas não relacionados com o comércio externo, como é o caso dos protestos em Hong Kong.

"Ambos os líderes conversaram sobre chegar a um acordo e as autoridades agora estão a terminar o trabalho", disse a mesma fonte citada, que achou improvável que a China retaliasse a legislação dos EUA ao divulgar a sua "lista de entidades não confiáveis" destinada a punir empresas consideradas prejudiciais aos interesses chineses.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de