Economia

China nega ser origem de opioide que matou dezenas de milhares nos EUA

(REUTERS/Kim Kyung-Hoon)
(REUTERS/Kim Kyung-Hoon)

A China negou hoje ser a origem de um poderoso opioide que matou já milhares de pessoas nos Estados Unidos, após o Presidente norte-americano, Donald Trump, ter acusado o país de estar por detrás daquele fenómeno.

A droga geralmente chega aos EUA por correio ou através da fronteira com o México.

É mais forte e letal do que a heroína e responsável por dezenas de milhares de mortes no país todos os anos.

No mês passado, o líder norte-americano pediu a todas as transportadoras que “procurassem e recusassem entregas de fentanil enviadas da China ou qualquer outro país”.

“O presidente [chinês], Xi [Jinping], disse que ia parar, mas não parou” com o tráfico do opioide, acrescentou Trump.

Liu Yuejin, vice-diretor da Comissão Nacional de Controlo de Narcóticos da China, afirmou que as alegações de Trump sobre o fentanil são “completamente infundadas e falsas”.

Liu afirmou que Pequim está a fazer grandes esforços para controlar a produção daquele poderoso opioide e que não deve ser rotulada como a principal fonte de fentanil dos EUA.

Em maio passado, o país asiático começou a regular todos os medicamentos compostos por fentanil como uma classe de substâncias controladas, visando conter o tráfico de drogas.

Desde que as novas medidas foram aplicadas, não foi descoberto nenhum caso de contrabando de fentanil entre os EUA e a China, disse Liu.

No entanto, as autoridades norte-americanas disseram, na semana passada, que a China estava ligada a uma apreensão de fentanil suficiente para matar 14 milhões de pessoas.

Uma das 39 pessoas detidas na sequência da operação, que envolveu polícias de vários Estados, é acusada de encomendar fentanil a um vendedor localizado em Xangai, a “capital” económica da China.

“A grande maioria do fentanil ilícito que chega aos EUA tem origem na China e muito chega pelos correios”, disse G. Zachary Terwilliger, advogado pelo Distrito Leste do Estado da Virgínia, citado pela imprensa norte-americana.

Liu observou que as mortes por fentanil nos EUA continuam a aumentar, apesar do controlo cada vez mais rigoroso do lado chinês, sugerindo que é uma indicação de que a droga não é proveniente da China.

Liu acusou ainda “alguns políticos” nos EUA de enganarem o público norte-americano sobre o trabalho desenvolvido pela China para ajudar os EUA a combater a crise de opioides.

As autoridades chinesas e norte-americanas estão a trabalhar juntas para lidar com crimes relacionados com drogas, afirmou o responsável.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Foto: REUTERS/Rafael Marchante

Portugal entre os países europeus que ficaram mais desiguais

Fotografia: Global Imagens

ANA corta taxas aeroportuárias e agarra Ryanair em Faro

Fotografia: Global Imagens

Cartões refeição de bancos estão irregulares

Outros conteúdos GMG
China nega ser origem de opioide que matou dezenas de milhares nos EUA