Guerra comercial

China suspende tarifas adicionais sobre produtos norte-americanos

Fotografia: REUTERS/Nicky Loh
Fotografia: REUTERS/Nicky Loh

No entanto, outras taxas já impostas aos produtos norte-americanos continuam em vigor, de acordo com um comunicado do Ministério das Finanças chinês.

A China suspendeu o aumento das tarifas adicionais que planeava impor a partir deste domingo sobre os produtos norte-americanos, depois de as duas maiores potências mundiais terem chegado a um acordo parcial na sexta-feira.

No entanto, outras taxas já impostas aos produtos norte-americanos continuam em vigor, de acordo com um comunicado do Ministério das Finanças chinês.

“A China espera, com base na igualdade e no respeito mútuo, trabalhar com os Estados Unidos para resolver adequadamente as preocupações do outro e promover o desenvolvimento estável das relações económicas e comerciais”, é referido no comunicado.

Após quase dois anos de conflito, o vice-ministro do Comércio, Wang Shouwen, anunciou na sexta-feira que os dois lados tinham chegado a uma primeira fase do acordo comercial, que inclui o entendimento sobre matérias como a transferência de tecnologia, propriedade intelectual, expansão comercial e estabelecimentos de mecanismos de resolução de disputas.

De forma quase simultânea, o Presidente dos EUA, Donald Trump, confirmou o acordo via Twitter e anunciou que não iria aplicar uma nova ronda de tarifas aos produtos chineses prevista arrancar hoje.

O cancelamento destas tarifas foi o que levou a China a anunciar que não aplica novas tarifas aos produtos norte-americanos, que teriam servido de retaliação.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Fotografia: Gustavo Bom/Global Imagens

Não conseguiu validar as faturas para o IRS? Contribuintes têm mais um dia

O ministro das Finanças, Mário Centeno, na apresentação das obras de arte da coleção BPN, agora integradas na Coleção do Estado, no Forte de Sacavém. Fotografia: TIAGO PETINGA/LUSA

Fundo de Resolução já pagou em juros 530 milhões ao Estado e 90 milhões a bancos

(Filipe Amorim / Global Imagens)

Venda do Novo Banco é “um não-assunto” para o Fundo de Resolução

China suspende tarifas adicionais sobre produtos norte-americanos