Poupança

Cinco dicas para começar a construir a sua almofada financeira

(DR)
(DR)

Mais vale prevenir do que remediar. Ter um fundo de emergência para dar resposta a despesas imprevistas é essencial para a saúde das suas contas.

Especialistas em finanças pessoais aconselham que poupe 10% do seu salário a priori, ou seja, logo que o receba. Pode colocá-lo num depósito a prazo, por exemplo, através de uma transferência direta para que não caia na tentação de gastar o dinheiro que pretende poupar. Uma das principais motivações para esta poupança mensal é a criação de uma almofada financeira de segurança, uma espécie de fundo de emergência para fazer face a despesas não previstas.

Sempre que receber um rendimento extra ou que não está à espera é uma boa oportunidade para poupar mais. Há dois momentos-chave no ano para dar uma ajuda à construção deste colchão: no verão e no Natal. É nestas duas alturas que a maioria dos portugueses recebe os subsídios de férias e de Natal. É certo que muitas pessoas investem tudo numas férias ou em presentes para a família, mas estes são os momentos ideais para começar a pensar em economizar. A Adecco sugere cinco dicas para criar a sua almofada financeira sem cair em tentações.

Guarde sempre uma parte
Mal receba um valor extra faça uma transferência para a sua conta poupança. Assim, evita sucumbir a impulsos e garante alguma poupança. Neste caso, o mais complicado é decidir qual a percentagem que pretende pôr de parte, pelo que é recomendável pelo menos 30% e ir aumentando o máximo possível.

Planifique
A chave para poupar é planear e saber muito bem quais são as despesas que terá em cada momento. Claro que podem surgir imprevistos, mas isso deve ser pontual. Por exemplo, antes de receber o subsídio de férias, precisa de ter a clareza sobre a quantia exata que vai receber e quanto precisará para as suas férias. Dessa forma, pode fazer as contas e perceber se conseguirá poupar esse montante ao longo do ano, deixando assim o pagamento extra intacto.

Faça orçamentos
Este relaciona-se com o planeamento, mas fazer estimativas vai dar-lhe uma ideia precisa do dinheiro que necessita para cada ocasião: feriados, presentes de aniversário, jantares de Natal, entre outros. Determine uma quantia para as diferentes ocasiões e siga-a com rigor, controlando bem os gastos. Para que o valor extra não desapareça, é essencial manter-se fiel ao seu orçamento e não gastar mais do que o estipulado.

Não vá às lojas
Na altura de receber o subsídio de férias chegam os saldos, o que também acontece em janeiro, pouco depois do subsídio de Natal. As promoções podem fazer o seu planeamento ir abaixo mais rapidamente do que possa imaginar. Para evitar que isso aconteça, tente não visitar as lojas ou faça uma lista com o que realmente precisa. Compare preços e obtenha a melhor oferta.

Cuidado com os impulsos
É normal que, quando recebe dinheiro extra, sinta vontade de comprar uma nova televisão ou fazer uma viagem. Sente-se mais desafogado e é normal querer satisfazer um desejo. Pense se é algo que realmente precisa nesse momento ou se poderá realizá-lo mais tarde poupando um pouco e sem recorrer a esse extra. É bom presentear-se a si mesmo de tempos em tempos, mas tente sempre fazê-lo sem causar um impacto negativo nas suas finanças pessoais.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
O empresário Joe Berardo à chegada para a sua audição perante a II Comissão Parlamentar de Inquérito à Recapitalização da Caixa Geral de Depósitos e à Gestão do Banco, na Assembleia da República, em Lisboa, 10 de maio de 2019. ANTÓNIO COTRIM/LUSA

Joe Berardo: “Tenho servido de bode expiatório”

Carlos Costa. Foto: JOSÉ SENA GOULÃO/LUSA

BdP vai divulgar relatório dos grandes devedores mas incompleto

O ministro das Finanças, Mário Centeno. Fotografia: José Sena Goulão/Lusa

Centeno assegura clarificação das dúvidas do BCE

Outros conteúdos GMG
Cinco dicas para começar a construir a sua almofada financeira