têxtil

Colômbia declara guerra à contrafação

A Plaza Mayor, em Medellín, recebeu a 29ª edição da Colombiatex
A Plaza Mayor, em Medellín, recebeu a 29ª edição da Colombiatex

Apreensões em 2016 totalizaram 136 milhões de euros

O combate à contrafação e ao comércio ilegal é uma das grandes apostas do governo colombiano que, só em 2016, realizou 60 mil apreensões de mercadoria de origem ilegal, no valor de 395 mil milhões de pesos colombianos, cerca de 136 milhões de euros.

Dados apresentados esta terça-feira, no arranque da 29ª edição da Colombiatex, em Medellín, pelo vice-ministro do Desenvolvimento Empresarial. Daniel Arango Ángel lembrou a nova política industrial do governo colombiano, sublinhando que o seu papel fundamental no “desenvolvimento produtivo, e que beneficiará todas as empresas do país e, em especial, as cerca de 7100 unidades da fileira têxtil, responsáveis por 400 empregos diretos”.

O governante desafiou, ainda, os industriais colombianos a tirarem melhor proveito das oportunidades disponíveis através dos 11 tratados de comércio livre que a Colômbia tem assinados com 50 países e que dão acesso a 1,5 mil milhões de consumidores.

Já o líder da Inexmoda, o instituto organizador do certame, mostrou-se preocupado com a recente reforma tributária que levou a um aumento do IVA de 16 para 19%, considerando que “esta alteração pode afetar a dinâmica de crescimento de vendas do setor têxtil e de vestuário”. Carlos Eduardo Botero lembrou, ainda, que o efeito cambial que, por via da desvalorização do peso colombiano, se mostra “favorável” ao crescimento das exportações da fileira. Apelou, por isso, ao Governo para que tome medidas que ajudem as empresas a chegarem “com mais força” a mercados como os Estados Unidos, o Canadá ou a Europa.

A feira, que decorre sob o conceito #NuevoJogo, pretende alertar as empresas para a importância fundamental da tecnologia, convidando-as a que sejam atores da mudança, através da inovação e da competitividade, de modo a que possam responder às novas exigências dos consumidores. “Com este ‘Novo Jogo’ a que nos convida a Inexmoda, devemos cumprir com o desafio de inovar ou morrer”, salientou, por seu turno, o governador da província de Antioquia, Luis Perez Guttiérrez.

Nesta 29ª edição da Colombiatex, a decorrer até quinta-feira na Plaza Mayor, em Medellín, estão 510 expositores, dos quais cinco portugueses. Esperados são quase 15 mil visitantes, entre nacionais e internacionais, e que garantem a Medellín um retorno económico na ordem dos 27 mil milhões de pesos colombianos, qualquer coisa como 9,3 milhões de euros. Números avançados pelo presidente da câmara local na sessão de abertura daquele que é o mais importante certame da indústria têxtil na América Latina. Federico Guttiérrez Zuluaga destacou, ainda, o papel fundamental da fileira para o desenvolvimento da região. “Este é um setor dinamizador da economia e em Antioquia concentramos 45,5% da produção têxtil e de confeções do país”, frisou.

  • * A jornalista viajou a convite da Inexmoda
Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
A Deliveroo encabeça a lista.
REUTERS/Phil Noble

Oito portuguesas no ranking 500 de tecnologia da Deloitte

Sindicatos da PT contra a Altice

Sindicatos avançam com ações contra PT

Fotografia: Rui Coutinho / Global Imagens

Défice da balança comercial aumentou em 613 milhões em outubro

Outros conteúdos GMG
Conteúdo Patrocinado
Conteúdo TUI
Colômbia declara guerra à contrafação