Como gerir o meu dinheiro

Como gerir melhor as poupanças?

Como gerir melhor as poupanças?

Durante este mês vamos responder a questões económicas com ajuda da Golden Wealth Management. Hoje publicamos o quarto e último.

Durante as últimas quatro semanas, foram respondidas questões como: Quero investir. Como o posso fazer? (publicado dia 1); Como selecionar as melhores ações e obrigações? (dia 8); E se investir em fundos? (dia 15); e Como gerir melhor as poupanças? (publicamos hoje).

Segue-se então o tema desta semana, respondido por Nuno Santos, Analista de Advising da Golden Wealth Management e Beatriz Teixeira, Técnica de Marketing.

A poupança é um tema cada vez mais presente no dia a dia, no entanto, os portugueses têm tendência a fazer escolhas erradas na aplicação do “pé de meia”.

Antes de poupar, é necessário definir o objetivo da poupança, e qual o seu horizonte temporal.

Quando falamos da poupança (por exemplo para a reforma), devemos ter em conta o horizonte temporal, pois quanto mais amplo este for, maior poderá ser o potencial de ganho e é determinante a escolha da solução de poupança. Tendencialmente, os portugueses demonstram aversão a investimentos incertos e, por isso, acabam sempre por se refugiar em instrumentos como os depósitos a prazo que, apesar de apresentarem menos risco também oferecem rentabilidades pouco apelativas.

Do mais conservador ao mais agressivo, existe um leque de produtos à disposição consoante o perfil de risco de cada um.

Como alternativa e, ainda no âmbito de maior segurança, os investidores têm ao seu dispor títulos de dívida soberana (obrigações de tesouro) ou certificados de aforro que, ao estarem expostos ao risco do emitente, apresentam rentabilidades superiores, embora sendo muito comprimidas devido à política monetária expansionista vivida na Europa.

Por outro lado, ainda que tenha condições de movimentação muito restritivas, uma solução a ponderar serão os PPR’s. Além de terem vantagens fiscais na tributação de mais valias, são produtos que podem providenciar rentabilidades bastante interessantes, sendo que abrangem todos os tipos de investidores. Há soluções para o cliente particular e para a empresa (fundos de pensões).

Tão importante é este veículo que já as autoridades europeias estão a lançar o PPR Europeu que vem demonstrar uma necessidade de uniformização entre os estados membros, permitindo o acesso a uma oferta mais global e impactar a população para a necessidade/benefícios de uma poupança atempada e de acordo com os objetivos futuros dos aforradores.

Nesse sentido, é importante obter informação fidedigna sobre todas as alternativas disponíveis, bem como, se for caso disso, procurar aconselhamento junto de entidades independentes de forma a encontrar a melhor solução para aplicar os seus recursos.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Mário Centeno ladeado pelos representantes dos dois maiores credores de Portugal: Pierre Moscovici (Comissão) e Klaus Regling (ESM). Fotografia: EPA/JULIEN WARNAND

Centeno usa verbas da almofada de segurança para pagar aos credores europeus

O bastonário da Ordem dos Notários, Jorge Batista da Silva. Fotografia: Gonçalo Villaverde/Global Imagens

Ordem dos Notários desmente declarações de Álvaro Santos Pereira

Quinta do Lago

Algarve é o melhor destino de golfe do mundo para 2020

Outros conteúdos GMG
Como gerir melhor as poupanças?