Economia

Constituição de empresas cresce 21,4% até fevereiro para 11 mil

(Rui Manuel Fonseca / Global Imagens)
(Rui Manuel Fonseca / Global Imagens)

Encerramentos subiram 6,3% ultrapassando os dois mil, segundo o barómetro da Informa D&B.

O número de empresas criadas entre janeiro e fevereiro avançou 21,4%, em comparação com o período homólogo, para cerca de 11 mil, enquanto os encerramentos subiram 6,3% ultrapassando os dois mil, segundo o barómetro da Informa D&B divulgado esta segunda-feira.

“Até ao final de fevereiro foram criadas 11.099 novas empresas, mais 21,4% do que no mesmo período de 2018, ano em que foi batido o recorde de criação de empresas em Portugal”, lê-se no estudo da Informa D&B.

De acordo com a consultora, este crescimento é generalizado a todos os setores de atividade e a todos os distritos.

Por setor, destaca-se o dos serviços com 3.557 nascimentos, seguido pela construção (1.424) e pelo retalho (1.303).

Entre janeiro e fevereiro, o número de encerramentos obteve uma subida homóloga de 6,3% fixando-se em 2.767. O destaque vai para o setor dos serviços, onde se registaram 697 encerramentos, seguido pelo retalho (512).

Já as insolvências caíram 26,7%, face ao mesmo período de 2018, para 355.

O barómetro apontou ainda que, nos últimos 12 meses, foram constituídas 2,5 empresas por cada uma que encerrou, sendo o setor das atividades imobiliárias o que regista um rácio mais elevado entre constituições e encerramentos, com 5,2 empresas criadas por cada uma que encerrou.

“As atividades imobiliárias é um dos setores que revela maior vitalidade e regista maior crescimento percentual de nascimentos de novas empresas na última década. Depois de um decréscimo de nascimentos entre 2009 e 2012, a partir de 2016 o setor mostrou um enorme crescimento e em 2018 nasceram 5.264 novas empresas, mais do dobro do que tinha atingido em 2008”, lê-se no documento.

Em 2019, o setor “recuou em janeiro face ao período homólogo, mas voltou a recuperar em fevereiro com mais 22%”.

Por subsetor de atividades imobiliárias, a compra e venda atingiu 3.579 novas empresas em 2018, mais 60% do que em 2008.

O setor angariação, avaliação e mediação fixou-se, no ano em causa, 1.109, novamente uma subida de 60% em dez anos.

Por sua vez, no arrendamento foram constituídas 404 empresas, mais 63% do que em 2008, enquanto na administração de condomínios e imóveis o número caiu 10% para 172.

Para a realização deste estudo, a Informa D&B considerou um universo que engloba a informação relativa às empresas e outras organizações com sede em Portugal, sob as formas jurídicas de sociedades anónimas, sociedades por quotas, sociedades unipessoais, entidades públicas, associações, cooperativas e outras sociedades.

Os empresários em nome individual não foram considerados neste barómetro.

No que se refere às insolvências, foram consideradas as entidades com processos iniciados no período em causa, com publicação no portal Citius do Ministério da Justiça.

O estudo da consultora analisou apenas processos de insolvência de pessoas coletivas.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Facebook's founder and CEO Mark Zuckerberg reacts as he speaks at the Viva Tech start-up and technology summit in Paris, France, May 24, 2018. REUTERS/Charles Platiau - RC11ABE16B10

Abusos nos dados privados pode custar ao Facebook entre 3 a 5 mil milhões

Foto: Global Imagens

Jovens licenciados portugueses com maior probabilidade de terem salários baixos

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa,  intervem durante a sessão solene comemorativa dos 45 anos da Revolução de 25 de Abril na Assembleia da República em Lisboa, 25 de abril de 2019. ANTÓNIO COTRIM/LUSA

Presidente da República pede “mais ambição” para resolver problemas

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Constituição de empresas cresce 21,4% até fevereiro para 11 mil