estacionamento

Coreia do Norte deve 156 mil dólares a Nova Iorque em multas de estacionamento

(DR)
(DR)

No total, calcula-se que as missões diplomáticas devam 16 milhões de dólares à cidade, em multas de estacionamento.

Carros mal estacionados levam multa. A prática é corrente em quase todas as cidades e Nova Iorque não é exceção. E apesar de representantes internacionais e membros de governo terem direito a automóveis com regalias especiais, se deixarem as viaturas mal paradas, são obrigados a pagar multa, como qualquer cidadão.

A NBC adianta que a Coreia do Norte acumulou uma dívida a Nova Iorque de 156 mil euros em multas de estacionamento, graças a viaturas mal paradas quando os diplomatas participavam em eventos no edifício das Nações Unidas, situado no centro da cidade.

O montante foi apurado por uma equipa de investigação da publicação, que confrontou Jong Jo, o secretário da missão do país na ONU, com as informações. O diplomata norte-coreano recusou a veracidade dos dados, invocando um memorando de entendimento que estabelece que, se acumular três ou mais contraordenações, uma viatura diplomática perde direito às regalias.

“É falso. Sempre que temos uma multa, pagamos. Porque se tivermos três, a cidade não nos permite renovar a permissão [diplomática]”, indica Jong Jo. Só que o documento em causa foi assinado em 2002 e as cerca de 1300 multas da Coreia do Norte acumulam-se desde os anos noventa, uma década antes da assinatura do memorando.

Só que a Coreia do Norte não está sozinha e nem sequer é o país com a dívida mais avultada em estacionamento: a China deve quase 400 mil dólares a Nova Iorque, a Síria deve mais de 364 mil dólares, o Irão 185 mil e a Rússia 104 mil. Calcula-se que o valor que a cidade tem a haver junto das missões diplomáticas ascenda aos 16 milhões de dólares no total.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
O ex-presidente do BPN, José Oliveira Costa. Fotografia: Rodrigo Cabrita/Global Imagens

Finanças. Antigo BPN está a ajudar a reduzir défice deste ano

Vieira da Silva e Cláudia Joaquim
Fotografia: Leonardo Negr‹ão / Global Imagens

Governo admite eliminar factor de sustentabilidade noutros tipos de pensões

O ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Vieira da Silva  JOSÉ SENA GOULÃO/LUSA

Regras das pensões antecipadas que existem em 2018 vão manter-se

Outros conteúdos GMG
Coreia do Norte deve 156 mil dólares a Nova Iorque em multas de estacionamento