Coronavírus

Surto de coronavírus afasta Ericsson do Mobile World Congress

Ericsson
Fonte: Pixabay

A Ericsson anunciou que não irá participar no evento de Barcelona, que arranca a 24 de fevereiro, tendo em conta preocupações com o coronavírus.

A empresa de serviços de telecomunicações e infraestruturas de rede junta-se à sul-coreana LG, que anunciou no início desta semana a retirada da participação no Mobile World Congress (MWC). Através de comunicado, a Ericsson justifica esta decisão com a “responsabilidade pela saúde e segurança dos empregadores, clientes e stakeholders da companhia”, que considera “como a principal prioridade da empresa”.

“Na sequência do surto e expansão do contágio do novo coronavírus, a Ericsson está a acompanhar de perto os desenvolvimentos e está a aplicar às recomendações de autoridades de saúde de relevo no panorama internacional, como a OMS”, é possível ler, na nota publicada esta sexta-feira.

“Após uma extensa avaliação dos riscos internos, a Ericsson decidiu tomar medidas de precaução através da retirada da participação do MWC Barcelona 2020, o maior evento da indústria das telecomunicações”.

A empresa sublinha ainda que “aprecia que a GSMA [organizadora do evento] tenha feito esforços para controlar o risco”. “No entanto, como um dos principais expositores, a Ericsson recebe milhares de visitantes no seu stand a cada dia e, mesmo que o risco seja baixo, a empresa não pode garantir a segurança de todos os empregados e visitantes”.

“A saúde e a segurança dos nossos empregados, clientes e stakeholders são a nossa alta prioridade. Isto não é uma decisão que tenha sido tomada de ânimo leve”, ressalva Börje Ekholm, presidente e CEO da Ericsson, citado em comunicado. “É algo lamentável, mas acreditamos seriamente que esta seja a decisão mais responsável para o negócio”.

A Ericsson aponta ainda que irá realizar eventos locais em vários mercados para apresentar as soluções e demonstrações que estava a preparar para o MWC.
Também a sul-coreana decidiu retirar a participação do evento internacional, que se realiza anualmente em Barcelona.

A GSMA, organizadora do evento, já emitiu um comunicado onde comenta a decisão da Ericsson, que considera como “um importante player do ecossistema” das telecomunicações. A organização afirma “respeitar a decisão da empresa e estar segura de que a Ericsson estará comprometida com um regresso ao MWC 2021 com toda a força”.

A organização aponta ainda que “o cancelamento da Ericsson irá ter algum impacto na presença do evento e que este impacto poderá potencialmente crescer”. Na mesma nota, a organização encoraja os expositores que continuem com os planos de participação a implementar protocolos que estejam de acordo com as recomendações da OMS.

No início desta semana, a GSMA avançou que, além de aumentar o número de profissionais médicos nos locais de evento e da disponibilização de produtos de desinfeção no evento, pretende implementar uma política para evitar os apertos de mão, temendo o risco de contágio.

O MWC recebeu 109 mil pessoas na edição de 2019.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Mário Centeno 
(EPA-EFE/PATRICIA DE MELO MOREIRA)

Lentidão nos reembolsos fazem disparar IRS em plena crise

Fotografia: José Sena Goulão/Lusa

Costa. Plano de rotas da TAP “não tem credibilidade”

portugal covid 19 coronavirus

1342 mortos e 31007 casos confirmados de covid-19 em Portugal

Surto de coronavírus afasta Ericsson do Mobile World Congress