OPEP

Corte da produção permitirá equilíbrio do mercado petrolífero em 2018 – OPEP

OPEP queixa-se de interferência
OPEP queixa-se de interferência

As previsões da OPEP apontam que o corte de produção lançado há um ano permitirá que o mercado fique equilibrado em finais de 2018.

O corte da produção de petróleo lançado há um ano pela OPEP para reduzir o excesso de oferta permitirá que o mercado fique equilibrado em finais de 2018, segundo as previsões da OPEP.

No mais recente relatório da OPEP (Organização de Países Exportadores de Petróleo), hoje divulgado em Viena, o organismo refere que também prevê que a produção de petróleo de xisto dos Estados Unidos suba para níveis máximos.

Assim, a OPEP prevê que a produção total da concorrência aumente em 0,9 milhões de barris por dia para um total de 56,58 milhões de barris por dia.

A produção dos Estados Unidos, especialmente de petróleo de xisto, deverá crescer 1,05 milhões de barris por dia e será o único responsável por aquele aumento.

As extrações de xisto chegarão em 2018 até aos 5,48 milhões de barris por dia, mais 17% do que no ano passado e acima da produção máxima de sempre, de 4,70 milhões de barris por dia registada em 2015.

“A previsão de 2018 para o fornecimento de países não OPEP está associado a consideráveis incertezas, particularmente relacionadas com o desenvolvimento do petróleo de xisto dos Estados Unidos”, indicam os especialistas da OPEP.

O grupo petrolífero afirma que já em 2017 a produção norte-americana vai crescer 4,45% e que se espera que aquele ritmo “continue em 2018 impulsionado de crescentes investimentos em petróleo de xisto dos Estados Unidos e de poços mais eficientes”.

A extração de petróleo de xisto, mais cara do que a do petróleo convencional, começou a cair em 2015 quando a descida dos preços fez com que aquelas exportações deixassem de ser rentáveis.

Agora, com a recuperação do custo do petróleo, graças à política de cortes da OPEP, o xisto volta a ser interessante para os investidores.

Face ao aumento da produção dos Estados Unidos, a OPEP estima que poderá colocar em 2018 no mercado uma média de 33,2 milhões de barris por dia, apenas mais 1% do que neste ano.

A produção da Rússia, um dos aliados da OPEP na estratégia de corte da produção, deverá cair 1,36%.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Turistas passeiam na baixa de Quarteira dia 19 de março de 2020. (LUÍS FORRA/LUSA)

Desemprego no Algarve triplica em maio por quebras no turismo

(MANUEL DE ALMEIDA/LUSA)

OE Suplementar: Oposição levou 263 propostas a votação, passaram 35

O primeiro-ministro, António Costa (E), conversa com o ministro de Estado e das Finanças, João Leão (D), durante o debate e votação da proposta do orçamento suplementar para 2020, na Assembleia da República, em Lisboa, 17 de junho de 2020. MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

O Orçamento Suplementar em 5 minutos

Corte da produção permitirá equilíbrio do mercado petrolífero em 2018 – OPEP