Costa anuncia fecho de fronteiras aéreas entre Portugal e Reino Unido

Mais uma medida de confinamento, desta feita para tentar isolar o país da estirpe britânica do coronavírus que se está a espalhar rapidamente em Portugal, diz o Governo.

Portugal vai encerrar as fronteiras aéreas com o Reino Unido a partir das 0h00 do próximo sábado, 23 de janeiro, anunciou o primeiro-ministro, a partir de um palco menos provável para este tipo de comunicações do foro doméstico, o final da reunião virtual do ​​​​​​​conselho europeu, que decorreu esta quinta-feira.

António Costa justificou a medida: a "interrupção total de voos" servirá para "diminuir os riscos de contágio" pela nova variante britânica do coronavírus, estirpe que se está a propagar rapidamente em Portugal, segundo os dados das autoridades portuguesas.

De fora ficam "unica e exclusivamente os voos de natureza humanitária para repatriar cidadãos portugueses e britânicos", acrescentou o chefe de governo português.

A medida foi anunciada após a cimeira informal de líderes da União Europeia (por videoconferência) que decorreu esta quinta e serviu para coordenar as respostas dos 27 Estados-Membros no combate à covid-19.

Recorde-se que esta medida do governo português acaba por ser uma reciprocidade face ao que o governo do Reino Unido anunciou na semana passada.

A 14 de janeiro, Londres anunciou que iria proibir as viagens provenientes de Portugal. A medida entrou em vigor na passada sexta-feira, 15 de janeiro.

Segundo o ministro dos Transportes britânico, continua a ser permitido o transporte de mercadorias, desde que sejam bens essenciais.

O governo britânico acrescentou que, tal como acontece no caso de Portugal continental, os corredores de viagens internacionais do Reino Unido com os arquipélagos da Madeira e dos Açores vão fechar na sexta-feira (15 de janeiro) e as ligações aéreas ficam suspensas.

Já as fronteiras entre os países da União Europeia continuam abertas, reiterou António Costa.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de