Política

Costa lança Marcelo para novo mandato

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa (D), conversa com o primeiro-ministro, António Costa (E), durante a visita à fábrica da Autoeuropa, em Palmela, 13 de maio de 2020. JOSÉ SENA GOULÃO/LUSA
O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa (D), conversa com o primeiro-ministro, António Costa (E), durante a visita à fábrica da Autoeuropa, em Palmela, 13 de maio de 2020. JOSÉ SENA GOULÃO/LUSA

Presidente da República mostra abertura para recandidatura a Belém. Lembra apenas: "Não nos poderemos substituir à vontade do povo português".

Marcelo Rebelo de Sousa conta com novo apoio para uma recandidatura a Belém. O primeiro-ministro lançou o desafio ao atual chefe de Estado e nada afasta Marcelo de nova corrida à presidência do país. Este é o resultado da segunda visita conjunta de António Costa e de Marcelo Rebelo de Sousa à Autoeuropa, em Palmela, que decorreu esta quarta-feira.

Tudo começou com um ditado popular. “Estabeleceu-se uma nova tradição, que, na Autoeuropa, o primeiro-ministro e o Presidente da República vêm em conjunto. Foi assim em 9 de dezembro de 2016, no primeiro ano de mandato do senhor Presidente da República; foi agora também, no último ano do atual mandato do Presidente da República. Há bocado, foi lançado o desafio: da próxima vez que viermos cá, deveríamos partilhar, com os trabalhadores, uma refeição no refeitório. E como não há duas sem três, cá podemos voltar outra vez.”

Essa próxima vez pode ser já no próximo ano, depois das eleições presidenciais, e à mesa com os operários da fábrica portuguesa do grupo Volkswagen. “Tenho uma boa data simbólica a propor para a terceira visita em conjunto e partilharmos a refeição em conjunto: se viemos cá no primeiro ano do primeiro mandato, se viemos cá no último ano do atual mandato, a terceira data é óbvia: é no primeiro ano do próximo mandato do Presidente. Faço-me desde já convidado para acompanhar o Presidente, o diretor-geral da Autoeuropa e os trabalhadores. Marcelo já experimentou o pastel de bacalhau; eu quero experimentar uma refeição completa.”

Marcelo Rebelo de Sousa parece estar pronto para o desafio, mesmo com sacrifícios. “O que se passa no mundo, na Europa e em Portugal exige que as pessoas saibam sacrificar os seus interesses pessoais, fazendo passar à frente o interesse coletivo.”

Com disponibilidade para concorrer, só há uma condição que pode impedir um eventual segundo mandato em Belém. “Não nos poderemos substituir à vontade do povo português. A vontade de todos nós é estarmos todos cá.”

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Trabalhos de descarga de contentores no Porto de Sines, 12 de fevereiro de 2020. TIAGO CANHOTO/LUSA

Exportações com quebra de 17% na primeira metade do ano

Isabel Camarinha, líder da CGTP, fala aos jornalistas após audiência com o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, no Palácio de Belém, em Lisboa, 30 de julho de 2020. (MIGUEL A. LOPES/LUSA)

CGTP. Governo nega complemento a quem esteve em lay-off sem justificação

spacex-lanca-com-sucesso-e-pela-primeira-vez-a-nave-crew-dragon-para-a-nasa

SpaceX lança 57 satélites para criar rede mundial de Internet de alta velocidade

Costa lança Marcelo para novo mandato