Política

Costa segura Centeno nas Finanças

Mário Centeno, Ministro das Finanças.
Fotografia: Francois Lenoir/Reuters
Mário Centeno, Ministro das Finanças. Fotografia: Francois Lenoir/Reuters

As eleições legislativas em Portugal estão agendadas para o dia 6 de outubro deste ano.

O ministro das Finanças, Mário Centeno, não queria ficar no próximo governo mas o primeiro-ministro, António Costa, conseguiu segurá-lo, garante o Expresso este sábado.

Segundo o jornal, a prioridade é a presidência do Eurogrupo – grupo que reúne os ministros das Finanças dos países da zona euro. E Centeno também é visto como um trunfo eleitoral.

As eleições legislativas em Portugal estão agendadas para o dia 6 de outubro deste ano.

Na próxima semana, o ministro das Finanças entrega em Bruxelas o Programa de Estabilidade (PE) que antecipa a próxima legislatura, com um crescimento menor da economia e a mesma tendência do défice das contas públicas, diz o jornal.

A entrega do PE é uma das obrigações de Portugal como membro da União Europeia e dá início ao processo orçamental, em linha com os restantes Estados-membros.

O atual executivo socialista tem governado com o apoio dos partidos de esquerda – o que tem sido designado de ‘geringonça’. Mas, segundo o Expresso, Costa já desistiu de ter o apoio da esquerda no Parlamento para as leis laborais e vai procurar aliar-se neste tema ao Partido Social Democrata, liderado por Rui Rio.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
O presidente do Novo Banco, António Ramalho, discursa na cerimónia de lançamento do Projeto de Divulgação Cultural do Novo Banco. Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Banca custou ao Estado mais 1,5 mil milhões de euros em 2019, agora ajude

coronavirus portugal antonio costa

Proibidos ajuntamentos com mais de cinco pessoas. Aeroportos encerrados

O primeiro-ministro, António Costa, fala aos jornalistas no final da reunião do Conselho de Ministros após a Assembleia da República ter aprovado o decreto do Presidente da República que prolonga o estado de emergência até ao final do dia 17 de abril para combater a pandemia da covid-19, no Palácio da Ajuda, em Lisboa, 2 de abril de 2020. 
 MÁRIO CRUZ/POOL/LUSA

Mapa de férias pode ser aprovado e afixado mais tarde do que o habitual

Costa segura Centeno nas Finanças