restauração

Covid-19. Mais de 700 restaurantes aderem à Glovo

Gabriel BOUYS / AFP)
Gabriel BOUYS / AFP)

Com o encerramento do Horeca, restaurantes recorreram à Glovo. Pedidos de parafarmácia e supermercados entre os que mais cresceram em abril.

Em dois meses mais de 700 restaurantes, dos quais 85% são pequenas e médias empresas portuguesas, aderiram à plataforma de entregas ao domicílio Glovo, presente em 34 cidades do país. Em abril, número de pedidos cresceu 28% face à média de janeiro e fevereiro.

“Neste período de confinamento, a Glovo enquanto plataforma que entrega qualquer coisa assumiu uma particular importância como forma de fazer chegar às pessoas os bens essenciais. Isto aplica-se à categoria de restaurantes que, através da nossa app, puderam dar continuidade aos seus negócios e a chegar aos seus clientes de uma forma fácil e conveniente. Estamos certo que o contributo da Glovo um precioso aliado para que os nossos parceiros de várias dimensões, pudessem continuar a gerar rendimentos, sejam cadeias internacionais ou pequenos estabelecimentos locais”, diz Ricardo Batista, country manager da Glovo em Portugal, citado em nota de imprensa.

Leia ainda: Chefs pedem flexibilidade nas taxas cobradas por Uber e Glovo

Na restauração, as preferências dos portugueses recaíram nos “hambúrgueres, especialmente o Big Mac e os cheeseburgers, seguindo-se a pizza (a gosto), logo depois o frango (especialmente fritos e nuggets) e por fim a comida japonesa (sushi principalmente).Os pedidos foram efectuados sobretudo durante o período de jantar (19H.-21h) e almoço (12h-14h), sendo as cidades com mais pedidos Lisboa e Porto, respetivamente.”

Com os portugueses em casa, a categoria de parafarmácia foi a que mais cresceu (375%), fruto da parceria com a Well’s e a possibilidade de fazer entregas de medicamentos não sujeitos a receita médica. “As compressas TNT, os testes de gravidez, o álcool sanitário, máscaras descartáveis e álcool gel (para mãos) foram os produtos mais requisitados”, informa a Glovo.

A categoria “Qualquer Coisa” – que oferece a possibilidade de pedir para o estafeta comprar, recolher e entregar qualquer coisa – aumentou 113% neste mês de abril, seguindo-se os pedidos de compras de supermercado.

Estes subiram 80% “em resultado da forte expansão e reforço da parceria com as cadeias de supermercado Continente para disponibilização de 32 lojas na app, como também da parceria com o Dia, que abrangeu todas as lojas Minipreço e Clarel em todas as cidades do território nacional cobertas pela Glovo.”

“Os utilizadores procuraram comprar sobretudo bens de primeira necessidade mas também de alimentos saudáveis, como frutas ou vegetais. As bananas e os morangos ocuparam o primeiro e segundo lugar, respetivamente, entre os produtos mais solicitados”, descreve a Glovo.

Ainda no top dos 10 produtos mais pedidos incluíram-se os ovos, os limões, a manteiga, as laranjas, as maçã Gala, a baguete, as cenouras e a farinha de trigo.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Biedronka assegura 68% das vendas; Pingo Doce 24%

Jerónimo Martins vai impugnar coima de 24 milhões na Polónia

Parque Eólico

EDP Renováveis vende sete parques eólicos à Finerge em Espanha

Luís Máximo dos Santos é presidente do Fundo de Resolução.

Fundo de Resolução diz que comprador da GNB tinha a proposta “mais atrativa”

Covid-19. Mais de 700 restaurantes aderem à Glovo