Automóvel

Covid-19. Apenas 22,2% das oficinas acham que negócio volta ao normal em 2021

header_oficinasdocaramulo-febebe6b2eac4868433ed7a2497d6f77e0972ce1

Inquérito a 320 oficinas em Portugal mostrou que 75% dos estabelecimentos “teve uma quebra de serviço superior a 50% na sua atividade.

Apenas 22,2% das oficinas automóveis portuguesas acreditam que o negócio voltará ao normal em 2021, tendo 41,6% aderido ao ‘lay-off’ simplificado, de acordo com um inquérito da revista Pós-Venda.

Este inquérito, elaborado a 320 oficinas em Portugal continental e ilhas, mostrou ainda que 75% dos estabelecimentos “teve uma quebra de serviço superior a 50% na sua atividade e que em metade desses a quebra foi mesmo superior a 75%”, devido à pandemia de covid-19, revelou a publicação especializada no setor, num comunicado.

“Apenas 4,4% das oficinas disseram que a redução na atividade foi até 25%, mas a maior fatia das oficinas (120 neste inquérito) afirmam que a redução na atividade foi acima dos 75%”, de acordo com os resultados do inquérito.

Ainda assim, mais de 91% dos estabelecimentos mantiveram-se em funcionamento.

Por outro lado, perto de metade das oficinas reduziu “o seu horário de funcionamento, ajustando-o a esta nova realidade e, após ser decretado o estado de emergência por parte do Governo, pouco mais de 40% das oficinas tiveram que reduzir o número de empregados”, garantiu a revista, na mesma nota.

Das oficinas inquiridas, 21,8% disseram que não vão aderir ao ‘lay-off’ simplificado, de acordo com os resultados.

Os dados divulgados pela Pós-Venda mostram ainda que 76% dos estabelecimentos de reparação automóvel “passaram a fazer serviços adicionais” e que “27,5% das oficinas consideram que a relação cliente/oficina se tornará mais digital”, de acordo com o comunicado.

O inquérito demonstra também que 63,1% dos estabelecimentos já tiveram algum tipo de dificuldade no abastecimento de peças.

Este estudo abrangeu o setor da reparação e manutenção automóvel, nomeadamente as oficinas de mecânica, de colisão (chapa e pintura), pneus e de vidro automóvel, de acordo com a publicação.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 286 mil mortos e infetou mais de 4,1 milhões de pessoas em 195 países e territórios.

Mais de 1,4 milhões de doentes foram considerados curados.

Em Portugal, morreram 1.163 pessoas das 27.913 confirmadas como infetadas, e há 3.013 casos recuperados, de acordo com a Direção-Geral da Saúde.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
O primeiro-ministro, António Costa. JOÃO RELVAS/POOL/LUSA

Governo cria complemento salarial até 350 euros para trabalhadores em lay-off

O primeiro ministro, António Costa, fala aos jornalistas durante a conferência de imprensa, 04 junho 2020, realizada no final da reunião do Conselho de Ministros, no Palácio da Ajuda, em Lisboa.     MANUEL DE ALMEIDA / POOL/LUSA

Banco de Fomento para Portugal com “aprovação provisória”

O primeiro ministro, António Costa, fala aos jornalistas durante a conferência de imprensa realizada no final da reunião do Conselho de Ministros, no Palácio da Ajuda,  em Lisboa, 29 de maio de 2020. O Governo decidiu adiar a passagem para a terceira fase de desconfinamento na Área Metropolitana de Lisboa e criou regras especiais, sobretudo em atividades que envolvem “grande aglomerações de pessoas”.  MANUEL DE ALMEIDA/POOL/LUSA

Trabalhadores em lay-off passam a receber entre 77% e 92% do salário

Covid-19. Apenas 22,2% das oficinas acham que negócio volta ao normal em 2021