Coronavírus

Covid-19. Luís Onofre produz máscaras para doar a instituições

Luís Onofre é, também, presidente da APICCAPS. Fotografia: 
 Maria João Gala / Global Imagens
Luís Onofre é, também, presidente da APICCAPS. Fotografia: Maria João Gala / Global Imagens

As máscaras, “não cirúrgicas”, serão doadas a “várias instituições do concelho de Oliveira de Azeméis e arredores”.

O ‘designer’ de calçado Luís Onofre começou esta semana a produzir diariamente 500 máscaras de apoio, na sua fábrica em Oliveira de Azeméis, que serão doadas a instituições da zona daquele concelho, foi hoje anunciado.

“Com vista a apoiar a comunidade local na prevenção e combate à Covid-19, Luis Onofre iniciou esta semana a produção diária de 500 máscaras de apoio, na sua fábrica em Oliveira de Azeméis, em parceria técnica com o CTCP (Centro Tecnológico do Calçado de Portugal)”, refere a agência de comunicação Showpress, que representa o ‘designer’ de calçado, num comunicado hoje divulgado.

As máscaras, “não cirúrgicas”, serão doadas a “várias instituições do concelho de Oliveira de Azeméis e arredores”, entre as quais: Hospital de Santa Maria da Feira, Hospital de Famalicão, Centro Dial, Lar Geribranca, Lar Pinheiro da Bemposta, Lar Pró Outeiro e Cruz Vermelha.

Luís Onofre, que é presidente da Associação Portuguesa dos Industriais do Calçado, Componentes, Artigos de Pele e Seus Sucedâneos (APICCAPS) e da Confederação Europeia de Indústrias de Calçado (CEC), “espera alcançar, ao longo da próxima semana, uma média diária de 800 unidades e assim ajudar a suprir a falta deste artigo junto da comunidade”.

Luís Onofre é ‘designer’ de calçado há mais de 20 anos e apresenta regularmente coleções no Portugal Fashion.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou cerca de 540 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram perto de 25 mil. Dos casos de infeção, pelo menos 112.200 são considerados curados.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

O continente europeu, com mais de 292 mil infetados e quase 16 mil mortos, é aquele onde está a surgir atualmente o maior número de casos, e a Itália é o país do mundo com mais vítimas mortais, com 8.165 mortos em 80.539 casos registados até quinta-feira.

Vários países adotaram medidas excecionais, incluindo o regime de quarentena e o encerramento de fronteiras.

Em Portugal, registaram-se 76 mortes, mais 16 do que na véspera (+26,7%), e 4.268 infeções confirmadas, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde, que identificou 724 novos casos em relação a quinta-feira (+20,4%).

Portugal, onde os primeiros casos confirmados foram registados no dia 02 de março, encontra-se em estado de emergência desde as 00:00 de 19 de março e até às 23:59 de 02 de abril.

Além disso, o Governo declarou no dia 17 o estado de calamidade pública para o concelho de Ovar.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Fotografia: Gerardo Santos/Global Imagens

Saídas para a reforma disparam 43% na função pública

Foto: DR

EDP flexibilizou pagamento de faturas no valor de 60 milhões de euros

Carteiros

CTT vão entregar cartão de cidadão em casa. Piloto arranca em Oeiras

Covid-19. Luís Onofre produz máscaras para doar a instituições