Água

Covilhã vai reduzir o preço da água

Foto: DR
Foto: DR

A Câmara da Covilhã vai reduzir o preço da água em 2017, medida que foi hoje aprovada por unanimidade na reunião de executivo

A Câmara da Covilhã vai reduzir o preço da água em 2017, medida que foi hoje aprovada por unanimidade na reunião de executivo, mas com críticas da oposição, que considerou a decisão “eleitoralista” e “aquém do necessário”.

Segundo o presidente da Câmara, Vítor Pereira (PS), este novo tarifário apresenta uma poupança média na ordem de 30% para os consumidores domésticos, “valores brutalmente inferiores” aos que eram praticados.

Além disso, está prevista uma redução de 35% na tarifa de ligação do serviço, de 45% na tarifa de disponibilidade e ainda de 25% para as instituições particulares de solidariedade social e associações sem fins lucrativos.

De acordo com referido, será ainda aplicada uma diminuição de 50% para os consumidores abrangidos pela tarifa social, cujo número de beneficiários foi alargado e também passou a abranger as famílias numerosas.

Ao apresentar a proposta, Vítor Pereira referiu que a redução foi “arduamente negociada” com o parceiro privado e que tem a preocupação de cumprir o princípio da equidade, abrangendo cerca de 90% da população.

“Desde a primeira hora que fui contra este negócio ruinoso e ilegal [concessão de 49% da empresa Águas da Covilhã], mas o que fizemos foi negociar, com elevadíssimo sentido de responsabilidade, para podermos avançar com este abaixamento”, salientou.

O autarca deste município do distrito de Castelo Branco também rejeitou todas as acusações de eleitoralismo e explicou que a medida só não foi aplicada mais cedo porque a referida negociação tinha de ter em conta as “implicações financeiras, jurídicas e legais”.

Além disso, também vincou que desde o 25 de Abril de 1974 esta é a primeira redução do preço da água que será aplicada no concelho.

“A vossa questão é dor de cotovelo política, porque nunca ninguém em 40 anos de democracia baixou o preço da água na Covilhã”, disse, sublinhando ainda que não houve aumentos desde o início do mandato.

Os vereadores da oposição consideraram que a proposta é “curta”, por não abranger a componente do saneamento e por não incidir sobre todos os escalões.

“É uma redução para inglês ver e que só mexe no que tem menos impacto nas famílias, não intervindo no que toca ao saneamento”, apontou Pedro Farromba, eleito pelo Movimento Acreditar Covilhã.

O vereador classificou ainda o decréscimo como “poucochinho”, aquém das necessidades e “claramente eleitoralista”, dada a proximidade das eleições autárquicas.

Já o vereador da CDU, José Pinto, também disse que se não fossem as eleições se passaria mais um ano sem mudanças no preço e considerou que o município devia ter ido mais longe, aplicando reduções em todos os escalões e abrangendo a componente do saneamento e dos resíduos sólidos.

“O preço da água não é o problema maior, o maior é mesmo é a questão do saneamento. Mas naquilo que é chorudo continua sem se mexer”, referiu.

Apesar da troca de argumentos, todos os vereadores votaram a favor e justificaram que apesar de insuficiente sempre é preferível a redução em causa do que nada.

 

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Lisboa,  29/09/2020 - Ursula Von der Leyen, Presidente da Comissão Europeia.
(Paulo Alexandrino/Global Imagens)

Ursula von der Leyen. “Portugal é único e tem agora oportunidades maravilhosas”

Portugal's Prime Minister Antonio Costa speaks during presentation of the European and Portuguese Recovery and Resilience Plans, at Champalimaud Foundation, in Lisbon, Portugal, 29 September 2020. Ursula Von Der Leyen is in Lisbon for a two-day official visit. MÁRIO CRUZ/LUSA

Portugal recorrerá só a subvenções. Empréstimos só quando situação melhorar

ANTONIO COTRIM/ LUSA

Von der Leyen: Instrumento “SURE é um escudo para os trabalhadores e empresas”

Covilhã vai reduzir o preço da água