crédito à habitação

Crédito à habitação subiu 40% em 2017

Fotografia: Global Imagens
Fotografia: Global Imagens

Pela primeira vez, o número de contratos celebrados para crédito ao consumo ultrapassou o valor registado em 2010, último ano antes da crise.

Há três anos consecutivo que é assim. Os portugueses continuam a pedir mais crédito à banca para compra de habitação. De acordo com o Relatório de Acompanhamento dos Mercados Bancários de Retalho, do Banco de Portugal, no ano passado, foram concedidos 7,7 mil milhões de euros de crédito à habitação o que representa um crescimento de 40% face ao ano anterior.

O banco central sublinha, contudo, que apesar do “crescimento significativo no número de contratos celebrados e no montante de crédito concedido”, a amplitude é inferior ao observado em anos anteriores.

Em 2017, foram celebrados 77.506 novos contratos e concedidos 7,7 mil milhões de euros para este segmento do crédito. O Banco de Portugal regista, no entanto, que o valor global da carteira de crédito à habitação no final do ano passado diminuiu para 87,7 mil milhões de euros, devido aos reembolsos antecipados e vencimentos. Foram realizados 72.463 reembolsos antecipados, no valor de 3,9 mil milhões de euros, uma subida de 35%.

infografia_ram2017_credito_a_habitacao

Infografia: Banco de Portugal

Também a subir o montante médio de crédito concedido, ou seja, as famílias estão, individualmente, a pedir mais dinheiro para comprar casa. No ano passado o montante médio foi de 99.670 euros, mais 5.500 euros do que em 2016. O prazo médio dos contratos à habitação também subiu, seis meses, para 33,3 anos.

Crédito automóvel volta a acelerar

O crédito para compra de carro voltou a subir em 2017, face ao ano anterior. De acordo com o Banco de Portugal, aumentou 20,4%, tal como também aumentaram os prazos médios de contratação, mais cinco meses, para 6,7 anos, do que em 2016.

No global, em 2017, o número de contratos celebrados para crédito ao consumo ultrapassou, pela primeira vez, o valor registado em 2010, ano que antecedeu a contração do mercado deste segmento de crédito. O aumento foi de 12% face a 2016, ainda assim, nota o banco central, inferior aos crescimentos verificados em 2016 e 2015.

infografia_ram2017_credito_aos_consumidores

Infografia: Banco de Portugal

Em termos nominais, foram concedidos 7,6 mil milhões de euros de crédito ao consumo. A taxa anual efetiva (TAEG) média do último trimestre foi de 10,7%, registando uma quebra de seis décimas face ao mesmo período de 2016.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
GSFJ2392

“A sustentabilidade dos media depende de todos nós”

Alexandre Fonseca - CEO da Altice Portugal

Fotografia: Gerardo Santos

Alexandre Fonseca sobre 5G: “Portugal hoje posiciona-se na cauda da Europa”

Sebastião Lancastre, Easypay

Easypay. “Para sermos relevantes para os clientes temos de ouvi-los”

Outros conteúdos GMG
Crédito à habitação subiu 40% em 2017