crédito ao consumo

Crédito ao consumo bate recorde em março

Fotografia: DR
Fotografia: DR

O valor pedido emprestado pelos portugueses atingiu um novo recorde e ultrapassou os 594 milhões de euros, mostram dados do Banco de Portugal.

O crédito ao consumo mantém a rota ascendente. Em março de 2017, o valor pedido emprestado pelos portugueses atingiu um novo recorde e ultrapassou os 594 milhões de euros – um acréscimo de 20,7% relativamente a fevereiro e de 10,6% em termos homólogos. O anterior recorde mensal foi estabelecido em novembro de 2016, nos 571 milhões de euros.

De acordo com os dados ontem divulgados pelo Banco de Portugal, o crédito automóvel motivou o aumento. O crédito através de locação financeira ou Aluguer de Longa Duração (ALD) para veículos novos e usados registou, respetivamente, incrementos mensais de 61,2% e de 45,1.

Os créditos com reserva de propriedade e outros para carros novos registaram também um aumento significativo de 45,7%. Em termos homólogos, todas as categorias de crédito automóvel viram aumentar os montantes pedidos.

O crédito pessoal também registou variações positivas, ainda que menos acentuadas. O montante contratado para as finalidades “educação, saúde, energias renováveis e locação financeira de equipamentos” aumentou 11,5%.

A categoria de crédito sem finalidade específica representa a maior parcela do montante total – 225 337 milhões de euros – e cresceu, desde fevereiro, 14,9%. Em termos homólogos, ambas as rubricas de crédito ao consumo evoluíram positivamente, com aumentos de 23,3% e de 9,7%, respetivamente.

O número de novos contratos de crédito acompanhou a evolução positiva. No geral, o aumento mensal foi de 16% e, em termos homólogos, de 3,2%. Foi também o crédito automóvel o impulsionador do crescimento. Destaca-se, sobretudo, o aumento de 62,7% do número de contratos celebrados através de locação financeira ou ALD para carros novos. Esta categoria regista o único recuo homólogo no número de novos contratos (menos 1,9%).

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
(Paulo Spranger/Global Imagens)

Depois de pagar a renda sobram 450 euros ao salário dos lisboetas

(Paulo Spranger/Global Imagens)

Depois de pagar a renda sobram 450 euros ao salário dos lisboetas

Aptoide | Paulo Trezentos | Álvaro Pinto

Portuguesa Aptoide já negoceia com Huawei para ser alternativa à Google

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Crédito ao consumo bate recorde em março