Crédito às empresas dispara 83%. Empréstimos para habitação descem 14% em maio

Valor emprestado para compra de casa foi de 792 milhões de euros, o mais baixo desde agosto de 2019.

A banca emprestou 792 milhões de euros em maio para a compra de casa, 14% abaixo do mesmo mês de 2019, enquanto os créditos a empresas subiram 83% para 4.910 milhões de euros, segundo o Banco de Portugal.

O valor emprestado em maio para a compra de habitação fica também abaixo do valor concedido em abril (831 milhões de euros) e é o mais baixo desde agosto de 2019.

No total, desde o início do ano, os bancos emprestaram 4.471 milhões de euros para a compra de casa, acima dos 4.078 milhões de euros emprestados nos primeiros cinco meses de 2019, o que se deve aos empréstimos concedidos no primeiro trimestre deste ano, que atingiram o valor máximo desde a crise financeira de 2008.

Ainda segundo os dados divulgados esta sexta-feira pelo Banco de Portugal, no crédito ao consumo foram concedidos em maio 232 milhões de euros, acima dos 168 milhões de euros de abril, mas bem abaixo dos 435 milhões de euros de maio de 2019.

Já nos empréstimos às famílias com outros fins, o valor concedido em maio foi de 157 milhões de euros, também neste caso acima dos 140 milhões de euros de abril, mas abaixo dos 178 milhões de euros de maio do ano passado.

No que se refere ao crédito concedido às empresas, este subiu significativamente de abril para maio, ao crescer 83% para 4.910 milhões de euros.

Também face a maio de 2019 o crescimento do crédito às empresas é significativo, de 86%, uma vez que então os empréstimos foram de 2.634 milhões de euros.

As empresas têm recorrido a empréstimos bancários com garantia de Estado para fazer face às consequências da crise desencadeada pela covid-19.

Quanto aos juros cobrados pela banca, em maio, a taxa de juro média dos novos empréstimos a empresas caiu 51 pontos base face a abril, para 1,56%, atingindo um novo mínimo histórico, descida para a qual "terão contribuído as linhas de crédito associadas à pandemia de covid-19", segundo o Banco de Portugal.

A taxa de juro das operações acima de um milhão de euros foi de 1,46% (1,80% em abril) e a das operações abaixo de um milhão de euros de 1,60% (2,29% em abril), tendo o diferencial entre as duas taxas caído face ao mês anterior, atingindo também um mínimo histórico.

Já nas novas operações de crédito à habitação, a taxa de juro média subiu oito ponto base para 1,11%.

Nos empréstimos ao consumo, a taxa de juro média aumentou para 6,63%, enquanto nos empréstimos para outros fins se fixou em 2,67%. Em março, estes valores foram de 6,03% e 3,10%, respetivamente.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de