finanças pessoais

Créditos pessoais rápidos: o que não deve fazer?

Contrato 2

A Reorganiza alerta para os perigos de quem precisa de dinheiro rápido.

Existem diversos perigos à espreita de quem precisa de dinheiro rápido. E a época natalícia pode ser propícia a essa situação. “Acreditamos que o crédito pode fazer toda a diferença na vida das pessoas, mas também sabemos que para uma boa experiência temos de procurar um crédito responsável e seguro, refere a Reograniza.

Não pensar duas vezes

Pensar

“Quando estamos em situação de desespero entramos numa situação de afunilamento. Quer isto dizer que focamos a nossa atenção num problema e acabamos por ficar menos abertos a outros fatores ou outras alternativas essenciais na nossa análise. A escassez faz-nos isto. Queremos resolver um problema e acabamos, maioria das vezes, a agravar o problema ou a criar outro. Logo, devemos ter sempre em mente a necessidade de pensar várias vezes sobre as soluções que temos ao nosso dispor. Neste processo, poderá ajudar-nos recorrer a ajuda ou aconselhamento externo.”

Pensar que não temos alternativas

Alternativas

É normal achar que não tem alternativas. “Que temos mesmo de pedir um crédito e que esta será a única solução. Acabamos por perceber que na maioria dos casos existem alternativas. Podemos, por exemplo, recorrer a ajuda de familiares. Ou muitas vezes aquilo que consideramos uma prioridade acaba por não ser assim tão importante.”

Não fazer contas

write

É perigoso não fazer contas. “De pouco nos vale resolver um problema hoje com recurso ao crédito se não temos como pagar as prestações acordadas com o banco. Pior, talvez, será recorrer ao crédito e deixarmos de ter dinheiro para as nossas despesas essenciais porque temos de pagar uma prestação ao banco”, lembra a Reorganiza.

Recorrer a crédito a particulares

crédito

“Em situações de crise estamos permeáveis a situações menos transparentes e, por isso, menos seguras. Uma destas situações é o recurso a créditos a particulares, empréstimos que não têm muitas regras e que por isso têm condições demasiado penalizadoras quer para a sua carteira quer para a sua saúde. Se precisa de dinheiro emprestado tem de fugir dos empréstimos entre particulares pois com grande probabilidade acabará por pagar caro essa imprudência.”

Pagar por aprovações de crédito

4. Compras online...

“Uma situação também ela problemática consiste no pagamento a supostos intermediários de crédito que solicitam um valor para fazer a pré-aprovação do seu crédito junto de uma instituição financeira. Saiba que entrou em vigor um novo enquadramento regulatório que impossibilita os intermediários de crédito vinculados de cobrar qualquer comissão aos seus clientes. Esta nova lei visa proteger os clientes, mas não evita situações de burla. Não pague a quem lhe propõe uma pré-aprovação de crédito pois com 99% de probabilidade vai perder o dinheiro que pagou e não terá o crédito que precisa.”

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Mário Centeno, ministro das Finanças e presidente do Eurogrupo. Fotografia: EPA/STEPHANIE LECOCQ

Peso da despesa com funcionários volta a cair para mínimos em 2020

26/10/2019 ( Nuno Pinto Fernandes/ Global Imagens )

Conselho de Ministros aprovou Orçamento do Estado

Marcelo Rebelo de Sousa, Presidente da República portuguesa. Foto: REUTERS/Benoit Tessier

OE2020: PR avisa que é preciso “ir mais longe” em matérias como a saúde

Outros conteúdos GMG
Créditos pessoais rápidos: o que não deve fazer?