Criação de empresas bate recorde em 2018. 40% são de turismo

Barómetro anual da Informa D&B revela que foram criadas mais de 45 mil novas empresas, mais quatro mil do que em 2017. Encerramentos subiram 18,6%

O número de empresas e outras organizações novas aumentou 10,4% no ano passado, de acordo com o barómetro anual da Informa D&B, empresa especializada em informação financeira sobre empresas. Cerca de 40% das empresas criadas em 2018 são do setor do turismo.

Em comunicado, Teresa Cardoso de Menezes, diretora-geral da Informa D&B, afirma que "o ano de 2018 vem reforçar os sinais da iniciativa empreendedora que já se tinham verificado em 2017, e ilustra a forte dinâmica do turismo em Portugal, pois as novas empresas ligadas às atividades turísticas representam uma parte muito significativa deste crescimento.’

As sociedades unipessoais representaram mais de metade das novas empresas, ou seja, são sobretudo negócios de pequena dimensão. As sociedades anónimas, por sua vez, perderam peso, representando, segundo a Informa D&B, "menos de metade do que há dez anos".

Lisboa foi o distrito com o maior número de constituições, com 15 798 novas empresas, um crescimento de 13,7% face a 2017. Seguiu-se o Porto, com 8 142, mais 12,7%, e Setúbal (3 377 novas empresas, mais 22%). Estes três distritos contribuíram com mais de 80% para a criação de novas empresas em 2018.

O aumento dos nascimentos foi acompanhado de uma subida dos encerramentos, que avançaram 18,6% face a 2017. No total, fecharam 18 111 negócios. O rácio fixou-se, ainda assim, em 2,5 novas empresas por cada uma que encerrou, um valor ligeiramente inferior aos 2,7 do ano anterior. As atividades imobiliárias (5,7), serviços (3,4) e telecomunicações (3,4) são os setores em que este rácio é maior.

A Informa D&B sublinha ainda que os encerramentos registam "um crescimento contínuo desde abril de 2018, sendo transversal a todos os distritos e setores". Os setores da indústria transformadora e do retalho por grosso foram dos que mais fechos registaram (mais 35,1% e 32,9%, respetivamente). Na construção os encerramentos também subiram (424 empresas fecharam, uma subida de 26,1%), mas nesta área também nasceram muitas novas sociedades, o que, considera a Informa D&B, "indicia alguma renovação empresarial".

O barómetro revela ainda que 2 350 entidades iniciaram processos de insolvência, menos 12,1% do que em 2017 (processos publicados no portal Citius relativos a pessoas coletivas). Desde 2013 que se inverteu a tendência de subida deste indicador, que continuou a baixar no ano passado. Mas, nota a empresa, "este ritmo é menos acentuado que nos dois últimos anos e não é transversal a todos os distritos e setores".

O número de novas empresas controladas por capital estrangeiro caiu 10,6%, depois de um número recorde em 2017.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de