Agricultura

Da pera rocha aos mirtilos, exportações estão a dar bons frutos

rosa

Exportações subiram 20%. A meta é chegar aos 1,5 mil milhões. Produtores investem na expansão para responder à procura

É caso para dizer: é muita fruta. “Esperamos atingir e até ultrapassar a barreira dos 1500 milhões de euros de exportações do setor hortofrutícola nacional neste ano, um crescimento de 14,5% em relação a 2016”, adianta Gonçalo Santos Andrade, presidente executivo da Portugal Fresh. E, com as raízes já fundas na terra, há muitas empresas que já pensam em crescer em novos mercados, como o México e os EUA, mas também a China e a Coreia do Sul.

Os números até agosto parecem sustentar o otimismo. “Nos primeiros oito meses de 2017, as exportações aumentaram 20% em relação ao período homólogo de 2016; no caso da fruta, as vendas para fora de Portugal cresceram 40%”, informa o Ministério da Agricultura. Destaque para a força exportadora dos pequenos frutos. No ano passado Portugal exportou 117 milhões de euros. “Em agosto deste já tinham sido ultrapassados os cem milhões.” A venda de legumes cresceu na ordem dos 15%.

A procura de produtos nacionais tem aumentado no mercado externo e há empresas, em que a exportação já tem peso relevante, que estão a apostar na expansão das áreas de produção através da compra ou do aluguer de terrenos. É o caso da Herdade Vale da Rosa, que em cinco anos quer duplicar os atuais 250 hectares onde produz uva de mesa, na sua maioria sem grainha. Mas também estão a diversificar os negócios e a apostar em mercados externos com a instalação de unidades de produção como a Luís Vicente. Os donos da marca de fruta tropical Plumb, que no primeiro trimestre de 2018 querem estar em Marrocos.

“Demonstra a dinâmica do setor” das frutas, legumes e flores, que “tem reforçado o seu perfil exportador”, reconheceu Luís Medeiros Vieira, secretário de Estado da Agricultura, durante a visita à Fresh Fruit, em Madrid.

Neste ano a segunda maior feira europeia de frutas e legumes contou com a “maior presença de sempre de empresas nacionais” – com um aumento de 50% face ao ano passado. Espanha, que representa 30% das exportações nacionais nesta área, é um mercado há muito conhecido dos empresários agrícolas nacionais.

Mas há outras geografias que se estão a abrir. Faltam apenas fechar alguns procedimentos para que a pera rocha e a maçã nacional possam chegar ao México, um mercado de 120 milhões de consumidores. China e Coreia do Sul são geografias que também estão a ser negociadas pelo governo. Os EUA deverão ser o mercado que se segue para peras e maçãs, diz Luís Medeiros Vieira. “Neste ano prevemos ter confirmada esta abertura.”

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Francisco de Lacerda, CEO dos CTT

CTT contesta Anacom em tribunal sobre indicadores de qualidade

Dinheiro

Há menos milionários em Portugal mas riqueza média está a aumentar

António Costa, primeiro-ministro (Fotografia: Maria João Gala/ Global Imagens)

Costa manda analisar processos de precários que foram recusados

Outros conteúdos GMG
Da pera rocha aos mirtilos, exportações estão a dar bons frutos