davos

Presidente do UBS acredita que BCE não subirá taxas de juro até setembro

Foto: REUTERS/Arnd Wiegmann ,
Foto: REUTERS/Arnd Wiegmann ,

Tendo em conta a evolução da inflação, o BCE pensará muito antes de subir as taxas de juro, sublinhou o presidente do UBS.

O presidente do UBS e antigo membro do Conselho de Governadores do BCE, Axel Weber, disse esta quarta-feira que o BCE não subirá as taxas de juro até muito depois de setembro e nunca antes de terminadas as compras de dívida.

Durante uma entrevista à agência Bloomberg no Fórum Económico Mundial de Davos, Weber assegurou que o Banco Central Europeu (BCE) “será muito cuidadoso e não vai fazer virar o barco”, pelo que não se devem esperar subidas das taxas de juro até finais do ano, que foi o que os mercados assumiram.

Tendo em conta a evolução da inflação, o BCE pensará muito antes de tomar uma decisão, sublinhou o presidente do banco suíço.

Neste momento, o maior risco para a estabilidade económica são possíveis conflitos, de âmbito político, e não dos mercados.

Weber também se referiu à moeda virtual bitcoin, com a qual a entidade suíça não opera nem a oferece aos clientes por temer que no futuro se houver uma correção “os investidores se perguntem quem e por que razão o UBS lhes vendeu este ativo”.

Em relação ao aparecimento de novas bolhas, Weber admitiu que no setor imobiliário “os preços estão muito altos”, por exemplo na Suíça.

O presidente do UBS acredita que no discurso da próxima sexta-feira em Davos, o Presidente dos Estados Unidos se vai centrar na cooperação internacional e no comércio.

O resto do mundo espera conhecer a direção que vai tomar a política comercial norte-americana e há muitas expectativas sobre as negociações do acordo NAFTA (North American Free Trade Agreement).

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Trump Xi China

Trump ameaça Pequim e ordena às empresas: “saiam da China”

Emmanuel Macron, presidente francês. Fotografia: Direitos Reservados

Fogos na Amazónia: França e Irlanda ameaçam bloquear acordo com Mercosul

O ministro do Ambiente e da Transição Energética, João Pedro Matos Fernandes, intervém durante uma conferência de imprensa para fazer o ponto de situação sobre a crise energética, no Ministério do Ambiente e da Transição Energética, em Lisboa, 13 de agosto de 2019. JOÃO RELVAS / LUSA

Ministro do Ambiente: “Há cada vez mais condições” para que greve não aconteça

Outros conteúdos GMG
Presidente do UBS acredita que BCE não subirá taxas de juro até setembro