Zona Euro

Debater dinheiro com ministros da Finanças é “tarefa difícil”

O presidente do Eurogrupo, Mário Centeno. Fotografia:
REUTERS/Yves Herman
O presidente do Eurogrupo, Mário Centeno. Fotografia: REUTERS/Yves Herman

Mário Centeno falava à margem de uma reunião informal de ministros das Finanças da zona euro.

O presidente do Eurogrupo, Mário Centeno, antecipou um debate animado hoje em Bruxelas sobre o financiamento do futuro orçamento para a zona euro, afirmando que “debater questões financeiras e de recursos financeiros com ministros das Finanças é uma tarefa difícil”.

À entrada para uma reunião informal de ministros das Finanças da zona euro, Centeno apontou que a segunda parte do encontro será dedicada, uma vez mais, a um debate sobre o instrumento orçamental próprio para a convergência e competitividade da área do euro, “hoje em particular sobre os meios financeiros desse instrumento”.

“Debater questões financeiras e de recursos financeiros com ministros das Finanças é uma tarefa difícil, e, portanto, temos de estar preparados para argumentar, todos à volta da mesa, a razão de ser de adicionarmos meios financeiros a uma linha orçamental para a zona do euro, para a convergência e competitividade”, declarou.

Mário Centeno antecipa por isso “um debate interessante” hoje à tarde em torno dos recursos para o orçamento da zona euro, que já admitiu que serão poucos, numa fase inicial.

Em inglês, à imprensa internacional, passou a mesma mensagem, afirmando que uma discussão “sobre dinheiro” entre ministros das Finanças “é sempre difícil”, mas afirmou-se “seguro” de que será possível “fazer progressos”.

O Eurogrupo necessita imperiosamente de fazer progressos nesta discussão, uma vez que a proposta concreta de uma linha orçamental própria para a convergência na zona euro deve estar pronta dentro de sensivelmente um mês, para ser apreciada pelos chefes de Estado e de Governo na cimeira agendada para 20 e 21 de junho.

Em dezembro de 2018, Centeno recebeu um mandato dos chefes de Estado e de governo da zona euro para trabalhar numa proposta de uma capacidade orçamental própria para a convergência na zona euro, há muito defendida pelo Governo português, e que deve ser apresentada no próximo mês.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Caixa Geral Depósitos CGD Juros depósitos

Caixa perdeu 1300 milhões com créditos de grandes devedores

Ursula von der Leyen foi o nome nomeado para presidir à Comissão Europeia. (REUTERS/Francois Lenoir)

Parlamento Europeu aprova Von der Leyen na presidência da Comissão

Christine Lagarde, diretora-geral demissionária do FMI. Fotografia: EPA/FACUNDO ARRIZABALAGA

Christine Lagarde demite-se da liderança do FMI

Outros conteúdos GMG
Debater dinheiro com ministros da Finanças é “tarefa difícil”