CONTEÚDO PATROCINADO

Débitos diretos: Saiba como proteger-se de movimentos indevidos

A carregar player...
Débitos diretos: Saiba como proteger-se de movimentos indevidos

Parceria entre a Easypay e Dinheiro Vivo, com tudo o que tem de saber sobre dinheiro digital. Saiba como lidar com ele e prevenir os riscos.

Sabia que assinar um contrato para autorizar um débito direto não é uma obrigação? Qualquer entidade credora (empresa da água, da luz ou até do ginásio) não tem como confirmar que a assinatura é a mesma que utiliza no seu banco, pelo que podem sempre debitar a sua conta apesar de não ter autorizado.

Os limites que pode aplicar aos débitos diretos são válidos apenas para as entidades credoras portuguesas. A boa notícia é que está 100% protegido, pois, no caso de não reconhecer um débito direto, tem cerca de dois meses (47 dias úteis) para pedir a sua devolução. A solução é simples: todas as segundas-feiras às 9 da manhã é tempo de monitorizar a sua conta. Proteja o seu dinheiro digital.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Pestana-Casino-Park

Grupo Pestana investe 50 milhões para construir “hotel sustentável” no Algarve

Foto: JOOST DE RAEYMAEKER/LUSA

Angola: João Lourenço “esquece” Portugal na lista de países importantes

Fotografia: Direitos Reservados

Uma nova aliança Portugal-Angola?

Outros conteúdos GMG
Conteúdo Patrocinado
Débitos diretos: Saiba como proteger-se de movimentos indevidos