CONTEÚDO PATROCINADO

Débitos diretos: Saiba como proteger-se de movimentos indevidos

A carregar player...
Débitos diretos: Saiba como proteger-se de movimentos indevidos

Parceria entre a Easypay e Dinheiro Vivo, com tudo o que tem de saber sobre dinheiro digital. Saiba como lidar com ele e prevenir os riscos.

Sabia que assinar um contrato para autorizar um débito direto não é uma obrigação? Qualquer entidade credora (empresa da água, da luz ou até do ginásio) não tem como confirmar que a assinatura é a mesma que utiliza no seu banco, pelo que podem sempre debitar a sua conta apesar de não ter autorizado.

Os limites que pode aplicar aos débitos diretos são válidos apenas para as entidades credoras portuguesas. A boa notícia é que está 100% protegido, pois, no caso de não reconhecer um débito direto, tem cerca de dois meses (47 dias úteis) para pedir a sua devolução. A solução é simples: todas as segundas-feiras às 9 da manhã é tempo de monitorizar a sua conta. Proteja o seu dinheiro digital.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Fotografia: Tiago Melo

Crédito chega às famílias mas nunca foi tão baixo para as empresas

Francisco de Lacerda, CEO dos CTT

Especuladores têm aposta de 35 milhões na queda das ações dos CTT

Foto: DR

Luta pelos cargos de topo do BCE aquece. Espanha favorita no primeiro round

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Débitos diretos: Saiba como proteger-se de movimentos indevidos