Défice da balança corrente e de capital aumenta até fevereiro

O défice da balança corrente e de capital aumentou para 556 milhões de euros, nos dois primeiros meses de 2018, anunciou o Banco de Portugal.

O défice da balança corrente e de capital aumentou para 556 milhões de euros, nos dois primeiros meses de 2018, face ao défice de 159 milhões de euros em igual período do ano passado, anunciou o Banco de Portugal.

Para o agravamento do saldo das trocas de Portugal com o exterior "contribuíram todas as componentes da balança corrente e de capital, com exceção da balança de serviços", diz o Banco de Portugal numa atualização do Boletim Estatístico, divulgada esta quarta-feira.

A balança de bens e serviços aumentou o défice para 403 milhões de euros, face a 299 milhões de euros em igual período de 2017. A balança de bens aumentou o défice em 362 milhões de euros, enquanto a balança de serviços aumentou o excedente em 259 milhões de euros, "essencialmente devido à rubrica de viagens e turismo, cujo saldo passou de 757 milhões para 929 milhões" de euros.

A "redução de rendimentos de investimento recebidos do exterior" contribuiu para um aumento do défice da balança de rendimento primário em 208 milhões de euros para 599 milhões de euros.

"O saldo da balança financeira registou uma redução dos ativos líquidos de Portugal face ao exterior no valor de 828 milhões de euros" devido sobretudo à "da redução dos depósitos do Banco Central junto de entidades não residentes e do investimento de não residentes em títulos de dívida pública portugueses".

Registou-se ainda um aumento de depósitos de estrangeiros, "mais que compensado pelo investimento em títulos de dívida, emitidos por não residentes, por outras entidades do setor financeiro".

O Banco de Portugal recorda ainda o reembolso antecipado ao Fundo Monetário Internacional, pelas administrações públicas, no âmbito do Programa de Assistência Económica e Financeira.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de