conjuntura

Défice externo até julho agrava-se para 1633 milhões de euros

Lisboa. MÁRIO CRUZ/LUSA
Lisboa. MÁRIO CRUZ/LUSA

O aumento da frota da TAP, com dezenas de aviões encomendados até 2025, continua a pressionar a balança de pagamentos.

O défice externo das balanças corrente e de capital agravou-se até julho para um valor de 1633 milhões de euros, acompanhando a evolução da balança de bens com saldo negativo ampliado em grande parte devido ao aumento das compras de aviões ao exterior pela TAP. O saldo negativo mais que duplica frente ao défice de 616 milhões de euros registado nos primeiros sete meses do ano passado.

Os dados do Banco de Portugal, publicados esta quarta-feira, apontam que a evolução é explicada sobretudo pela atividade no comércio com o exterior. Até julho, o défice da balança de bens cresceu em 2028 milhões de euros, para 9611 milhões de euros, com as importações a subirem 6,7% e as exportações a aumentarem apenas 2,2%.

A ampliação da frota da TAP, com dezenas de aviões encomendados à Airbus para entregas ao longo deste ano e até 2025, tem sido apontada com um dos principais contributos para a aceleração das importações e agravamento do défice comercial.

Já na balança de serviços, onde conta a atividade turística, o saldo mantém-se positivo, mas reduz-se em 137 milhões de euros face ao mesmo período do ano passado (8665 milhões de euros). Até julho, as exportações de serviços cresceram 4,6%, com as importações a crescerem 10,8%.

A nota do Banco de Portugal aponta também a redução de juros pagos a entidades não residentes como contributo positivo para a redução do défice de rendimentos do país. Caiu 748 milhões de euros na comparação com os primeiros sete meses de 2018, ficando em 3340 milhões de euros.

Destaque ainda para as remessas de emigrantes, cujo saldo sobe 16,6% frente ao mesmo período do ano passado, com um contributo positivo de 2048 milhões de euros no saldo da balança corrente até julho.

Na balança de capital, as contas são positivas, embora com uma redução no saldo de 39 milhões de euros, para 967 milhões.

O Banco de Portugal divulga também os dados do saldo da balança financeira, que exibe um défice de 1743 milhões de euros. Os números são explicados com investimentos estrangeiros em empresas nacionais e dívida pública, assim como com a redução de títulos de dívida estrangeiros nas reservas do Banco de Portugal.

Atualizada pela última vez às 12h02.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
O ministro das Finanças, Mário Centeno. Fotografia: ANTÓNIO CARRAPATO/LUSA

Maior credor de Portugal:juros baixos são temporários em países com rating fraco

O ministro das Finanças, Mário Centeno. Fotografia: ANTÓNIO CARRAPATO/LUSA

Maior credor de Portugal:juros baixos são temporários em países com rating fraco

Abhijit Banerjee, Esther Duflo e Michael Kremer vencem Nobel da Economia

A grande eficácia das pequenas coisas

Outros conteúdos GMG
Défice externo até julho agrava-se para 1633 milhões de euros