“Desapareceram” 37 milhões de euros de portagens da 25 de Abril

Paulo Campos
Paulo Campos

O ex-secretário de Estado das Obras Públicas Paulo Campos afirmou que “há 37 milhões de euros que ficam pelo caminho” no âmbito do acordo com a Lusoponte para o pagamento de portagens em agosto na Ponte 25 de Abril.

Paulo Campos falava hoje na sua última audição na comissão parlamentar de inquérito às Parcerias Público-Privadas (PPP), em resposta ao deputado do CDS-PP, Altino Bessa, que o acusou de fazer insinuações sobre o desaparecimento dos 37 milhões de euros.

“Disse que 37 milhões de euros ficaram pelo caminho. O que quer dizer com isto?”, questionou o deputado do CDS-PP Altino Bessa.

Por sua vez, Paulo Campos lembrou que a decisão de introdução de portagens foi tomada no mês de agosto de 2011, através da qual a Lusoponte recebeu 3,550 milhões de euros, ainda não se sabendo o valor relativo a 2012.

“Com a decisão de introdução de portagens no mês de Agosto de 2011 a Lusoponte recebeu 3,550 milhões de euros e em valores correntes ao longo de 19 anos, com o mesmo tráfego, a receita que o Estado deveria receber era de 81 milhões de euros”, explicou.

Contudo, acrescentou, “a receita que o Estado diz que abate é de 48 milhões de euros, mas segundo o relatório da Ernst&Young esta verba é de 44 milhões de euros”, disse, deixando implícito que faltam os 37 milhões de euros face aos 81 mil.

Considerando o caso como “algo de verdadeiramente extraordinário”, Paulo Campos frisou a necessidade de se esclarecer onde vai ficar esse dinheiro.

Quanto ao nono acordo de reequilíbrio financeiro com a Lusoponte, assinado em 30 de março de 2011, Paulo Campos afirmou: “Mais de um ano depois, nem se conhece a comissão de negociação, quem participou, quem assinou esse reequilíbrio ou o que diz”.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
EPA/MICHAEL REYNOLDS

Ação climática. Portugal vai ter de gastar mais de um bilião de euros

Quartel da Graça, em Lisboa. (Fotografia: D.R.)

Revive: Sete hoteleiros na corrida para transformar o Quartel da Graça

Thomas Cook era a agência turística mais antiga do mundo. ( EPA/ARMANDO BABANI)

Thomas Cook declarou falência. 600 mil turistas procuram solução

Outros conteúdos GMG
“Desapareceram” 37 milhões de euros de portagens da 25 de Abril