Dia Mundial do Ambiente

Dia Mundial do Ambiente. Reciclar, sensibilizar e recolher são palavras de ordem

bulb-2587637_1920

Este ano dedicado à poluição do ar e com a China a ser a anfitriã das comemorações, o dia é assinalado em Portugal com vários iniciativas.

Uma linha de crédito de 100 milhões de euros para a descarbonização e economia circular é lançada esta quarta-feira pelo Governo, no Dia Mundial do Ambiente.

Este ano dedicado à poluição do ar e com a China a ser a anfitriã das comemorações internacionais, o Dia Mundial do Ambiente é assinalado em Portugal com iniciativas na capital mas também em vários municípios.

Em Lisboa, os ministros do Ambiente e da Economia, João Pedro Matos Fernandes e Pedro Siza Vieira, respetivamente, lançam a linha de crédito numa cerimónia durante a qual também são assinados protocolos com os responsáveis dos 10 bancos que vão operacionalizar essa linha, de acordo com um comunicado do Governo.

O dia é também celebrado pela associação ambientalista Quercus com a entrega para reciclagem de 1,5 toneladas de rolhas de cortiça, cujos fundos reverterão para a reflorestação de áreas em todo o país.

As rolhas, segundo a Quercus, foram recolhidas pelos alunos do município da Amadora e entregues ao Projeto Green Cork, criado pela associação há 10 anos.

Desde 2009 que já foram entregues 380 toneladas de rolhas e foram distribuídas e plantadas quase 830.000 plantas florestais autóctones.

A Quercus apoiou também outra campanha dirigida ao plástico, com um grupo de escolas a ter eliminado ao longo do ano letivo cerca de 200.000 garrafas de plástico, no âmbito da campanha ‘Desplastificação Plástico#Zero’.

Os resultados, apresentados por ocasião do dia em que se celebra o ambiente, resultam de ações em casa e nas escolas, neste caso com atos como a eliminação de copos e garrafas de plástico e distribuição de garrafas de alumínio.

Para assinalar a efeméride outra organização ambientalista, a associação Zero, visita com a Câmara de Lisboa exemplos de sustentabilidade na capital, que é Capital Verde europeia no próximo ano.

“A utilização cada vez mais insustentável dos recursos associada ao desafio do combate e adaptação às alterações climáticas, torna urgente generalizar a adoção de boas práticas em todas as áreas ambientais, por forma a restabelecer um equilíbrio com a natureza”, diz a Zero em comunicado.

A visita, de trotinete, inclui hortas urbanas e prados biodiversos, e, de bicicleta, uma loja que respeita o ambiente.

E porque a redução do consumo diminui a pegada ecológica e é boa para o ambiente, a Ecopilhas, entidade gestora do sistema integrado dedicado à recolha de pilhas e baterias portáteis usadas em Portugal, alerta para a necessidade de prevenir a produção de resíduos e desafia cada um dos portugueses a usar a energia das pilhas até ao fim.

No Dia Mundial do Ambiente a Ecopilhas lança a campanha “Energia até ao fim”, na qual se alerta para a importância de utilizar a energia das pilhas até ao fim.

Eurico Cordeiro, diretor-geral da Ecopilhas, lembra, citado num comunicado, que quando “uma pilha começa a fraquejar num aparelho pode funcionar perfeitamente noutro”, pelo que se devem testar sempre as pilhas antes de serem colocadas no Pilhão. Em Portugal há mais de 20.000 pilhões.

O Dia Mundial do Ambiente é comemorado desde 1972, o 05 de junho marca a data em que começou a 1.ª Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente, em Estocolmo, na Suécia.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
President of the European Commission Ursula von der Leyen (L) and President of the European Council Charles Michel give a press conference during the second day of a special European Council summit in Brussels on February 21, 2020, held to discuss the next long-term budget of the European Union (EU). (Photo by kenzo tribouillard / AFP)

Conselho Europeu termina em Bruxelas sem acordo

Diretor-geral da fábrica da PSA Mangualde, José Maria Castro, fotografado na linha de montagem. (Fernando Fontes / Global Imagens )

Futuro da PSA Mangualde depende de apoio do Governo a projeto de 18 milhões

O ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos, discursa durante o almoço-debate "Os Desafios da Ferrovia: Infraestrutura, Serviços e Indústria", organizado pelo International Club of Portugal num hotel de Lisboa, 21 de fevereiro de 2020. TIAGO PETINGA/LUSA

Prejuízo da TAP “não foi um desvio qualquer” e já devia ter tido lucro

Dia Mundial do Ambiente. Reciclar, sensibilizar e recolher são palavras de ordem