Desemprego

Desemprego recua em junho para níveis de 2009

Emprego

Os centros de emprego tinham 511.642 desempregados inscritos em junho. É o número mais baixo dos últimos sete anos.

O universo de desempregados inscritos no final do primeiro semestre deste ano reflete uma descida mensal (em maio havia registo de 534.642 pessoas sem trabalho), registando-se igualmente um recuo em termos homólogos.

De acordo com os dados divulgados esta quinta-feira pelo Instituto do Emprego e Formação Profissional, a descida anual dos desempregados fez-se sentir em todos os níveis de instrução. Ou seja, o recuo face a junho de 2015 abrangeu tanto pessoas com os ensinos básico e secundário como os que têm habilitações de nível superior.

A mesma informação mostra que junho é o terceiro mês consecutivo em que se regista uma descida do universo de desempregados inscritos, sendo necessário recuar a setembro de 2009 para encontrar um número mais baixo dos que os 511.642 agora contabilizados.

Longa duração recua
Esta descida do número total de desempregados não aconteceu de forma igual para todos. No que diz respeito ao tempo de inscrição, o IEFP revela que os que estão sem trabalho há menos de um ano diminuíram 0,5% em termos homólogos, enquanto os que estão inscritos há mais de 12 meses (e que integram a categoria de desempregados de longa duração) registaram uma descida de 8,7%.

Esta diferença poderá também ser justificada pelo facto de à medida que o tempo passa e se esgota o direito ao subsídio de desemprego, haver menos interesse por parte dos desempregados em se manter ligados ao centro de emprego.

Principal causa
Ao longo do mês de junho inscreveram-se nos centros de emprego 47.163 novos desempregados. O fim de trabalho não permanente, isto é a não renovação de contratos a prazo, foi responsável por quase metade destas novas chegadas (20.683). A estes somam-se 4.925 que foram despedidos (no âmbito de despedimentos coletivos ou de extinção de posto de trabalho). As rescisões por mútuo acordo motivaram 1397 inscrições.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
O empresário Joe Berardo à chegada para a sua audição perante a II Comissão Parlamentar de Inquérito à Recapitalização da Caixa Geral de Depósitos e à Gestão do Banco, na Assembleia da República, em Lisboa, 10 de maio de 2019. ANTÓNIO COTRIM/LUSA

Joe Berardo: “Tenho servido de bode expiatório”

Fotografia: José Carlos Pratas

CGA: desequilíbrio entre trabalhadores e aposentados agrava-se

O ministro das Finanças, Mário Centeno. Fotografia: José Sena Goulão/Lusa

Centeno assegura clarificação das dúvidas do BCE

Outros conteúdos GMG
Desemprego recua em junho para níveis de 2009