balanço

Do edifício mais alto à mega barragem. 10 obras que marcaram a década

Foto: Crossrail London
Foto: Crossrail London

O homem sonhou, a obra nasceu. A década que agora termina foi rica em projetos megalómanos, que bateram recordes de investimento.

Em dez anos o mundo ganhou uma mega ponte, uma barragem que afeta a rotação da Terra e um aeroporto com capacidade para receber 20 vezes a população portuguesa. Sem surpresa, é na China e na Arábia que estão as maiores construções dos últimos anos, mas a Europa também apostou forte nas grandes empreitadas. Estas são (algumas) das maiores obras que o mundo viu crescer na segunda década do século XXI.

Burj Khalifa, Dubai

(Artur Machado / Global Imagens)

(Artur Machado / Global Imagens)

Foi a primeira grande inauguração da década. No arranque de 2010, o arranha-céus do Dubai tornou-se no edifício mais alto do mundo, com 828 metros, um título que ainda mantém mas que deverá perder já em 2020, quando estiver pronta a vizinha Dubai Creek Tower. Nos seus 160 andares, o Burj Khalifa tem 900 apartamentos, 57 elevadores e é visível a uma distância de quase 100 quilómetros. Este ano, o arranha-céus foi a sétima atração turística mais visitada do mundo, ultrapassando a Disneyland, na Califórnia, e o Palácio de Buckingham.

Novo sarcófago de Chernobyl, Ucrânia

Foto: Wikimedia Commons

Foto: Wikimedia Commons

A nova estrutura de Confinamento Seguro do reator quatro da central nuclear de Chernoby levou precisamente uma década a completar. O sarcófago foi apresentado em julho deste ano e é a maior estrutura móvel terrestre do mundo, com 36 mil toneladas e 257 metros de extensão. Foi idealizado para proteger os destroços do acidente nuclear de 1986, porque o sarcófago original, construído logo após o desastre, está em risco de colapsar e vai ser desmantelado. A nova estrutura custou mais de dois mil milhões de euros e foi desenhada para durar cem anos.

Ponte de Hong Kong-Macau-Zhuhai

EPA/ALEX PLAVEVSKI

EPA/ALEX PLAVEVSKI

Em outubro de 2018 foi inaugurada a maior travessia marítima do mundo. A ponte que liga a China continental a Macau e Hong Kong tem 55 quilómetros. O tabuleiro principal estende-se por 30 quilómetros de estrada suspensa por cabos. A meio, para permitir a passagem de navios, a ponte “mergulha” num túnel submarino, ligado por duas ilhas artificiais. No primeiro ano de funcionamento, a ponte foi atravessada por mais de 14 milhões de passageiros e 1,5 milhões de veículos, apesar de ser necessária uma licença especial para completar a travessia.

Barragem da Three Gorges, China

Foto: Wikimedia Commons, Le Grand Portage

Foto: Wikimedia Commons, Le Grand Portage

É um dos maiores projetos de engenharia do mundo e levou 18 anos a completar. A construção da mega estação hidroelétrica da Three Gorges teve várias fases, mas só em 2012 é que a barragem da maior acionista da EDP ficou totalmente operacional. Em 2016 foi ainda construído um elevador de navios, que permitiu reduzir o tempo de atravessamento da barragem de três horas para 40 minutos.
Segundo a NASA, sempre que a estrutura atinge o seu nível de capacidade máximo, afeta o movimento de rotação da Terra.

Projeto de Transferência de Água Sul-Norte, China

Foto: Wikimedia Commons

Foto: Wikimedia Commons

É uma obra desta década, das anteriores e das próximas. O Projeto de Transferência de Água Sul-Norte, na China, é uma estrutura colossal, que implica um investimento três vezes maior que a barragem da Three Gorges. Até 2014 foram gastos mais de 78 mil milhões de dólares neste empreitada, cujo objetivo é desviar água do rio Yangtze, no sul da China, para os rios Amarelo e Hai, no norte do país, através de três canais com mais de 1200 quilómetros. Isto porque o norte da China alberga metade da população do país, mas concentra apenas 20% dos recursos hídricos.

Reconstrução do World Trade Center, Estados Unidos

Foto: Wikimedia Commons, John Mabel

Foto: Wikimedia Commons, John Mabel

Os ataques de 11 de setembro de 2001 deixaram uma ferida na zona baixa de Manhattan, em Nova Iorque. Dezoito anos depois dos atentados às Torres Gémeas, os trabalhos de reconstrução do World Trade Center ainda não terminaram, mas a década que agora chega ao fim trouxe avanços decisivos. Entre 2011 e 2018 foram inaugurados três dos cinco arranha-céus previstos, um museu, um memorial e um terminal de transportes. A construção do quarto edifício foi interrompida em 2009 e espera-se agora que fique concluída em 2022.

Túnel Gotthard, Suíça

Foto: SBB-CFF-FFS

Foto: SBB-CFF-FFS

Em 2016 o mundo parou para ver a cerimónia de abertura do túnel ferroviário mais longo e profundo do mundo. O Túnel Gotthard, construído no coração dos Alpes suíços, levou 17 anos a concluir e custou mais de dez mil milhões de euros, sem derrapagens de prazos nem de orçamento. É considerado uma obra-prima da engenharia mundial, com quase 60 quilómetros de extensão, e foi criado para facilitar o transporte tanto de mercadorias como de passageiros, entre a Suíça e Itália. Um comboio de alta velocidade demora 17 minutos a percorrer o túnel.

Linha de Metro de Doha, Qatar

Foto: Doha Metro e Lusail Tram

Foto: Doha Metro e Lusail Tram

A última grande obra da década abriu ao público já em dezembro de 2019. As três linhas do metro de Doha estendem-se por 76 quilómetros, em subterrâneo e à superfície, e 37 estações. A empreitada começou em 2013 e teve um custo total de 36 mil milhões de dólares. O projeto terá uma segunda fase que ampliará o número de estações até à centena e deverá ficar concluída em 2026. A nível tecnológico, o sistema de Doha é um dos mais avançados do mundo: o metro não tem condutor e até as emergências são resolvidas automaticamente.

Aeroporto de Istambul, Turquia

Foto: Istanbul Airport

Foto: Istanbul Airport

É uma obra monumental, que está a ser feita por fases. A primeira, com 140 hectares, foi concluída em outubro de 2018. Desde então, o novo aeroporto de Istambul tem o maior terminal do mundo e capacidade para receber até 90 milhões de passageiros por ano. Quando as quatro etapas do projeto estiverem concluídas, em 2025, a cidade turca terá o maior aeroporto do planeta, com quase o dobro da capacidade do aeroporto de Atlanta, o atual detentor do título. O investimento é de 12 mil milhões de euros.

Crossrail, Londres

Foto: Crossrail London

Foto: Crossrail London

O maior projeto de engenharia civil da Europa está a nascer na capital britânica. A construção do Crossrail, que passará a chamar-se linha Elizabeth em homenagem à rainha, arrancou há dez anos e deveria ter terminado em 2018 mas o prazo derrapou para 2020. São 118 quilómetros de infraestruturas ferroviárias, 42 dos quais em túnel, que vão aliviar as linhas centrais do metro de Londres. O investimento já ultrapassa os 20 mil milhões de euros, mais do que Londres gastou na organização dos Jogos Olímpicos.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
A Poveira, conserveira. Fotografia: Rui Oliveira / Global Imagens

Procura de bens essenciais dispara e fábricas reforçam produção ao limite

Fotografia: Regis Duvignau/Reuters

Quase 32 mil empresas recorrem ao lay-off. 552 mil trabalhadores em casa

coronavírus em Portugal (covid-19) corona vírus

266 mortos e 10 524 casos confirmados de covid-19 em Portugal

Do edifício mais alto à mega barragem. 10 obras que marcaram a década