Doações em Portugal contra novo coronavírus acima dos 35 milhões de euros

Compra de ventiladores é o principal destino das doações e representa quase um terço das verbas, segundo observatório português.

Já foram doados mais de 35 milhões de euros em Portugal em instrumentos para combater o novo coronavírus. Os dados incluem as doações de particulares, empresas, fundações e até a disponibilização de material. A recolha da informação foi feita pelo portal Observatório das Doações, apresentado esta sexta-feira e que foi desenvolvido pela consultora Aliados e pela agência FES - Filling Emty Spaces.

A compra de ventiladores é o principal destino das doações, com cerca de 11,5 milhões de euros, ou seja, 32,5% da verba angariada em pouco menos de dois meses. Seguem-se os 10 milhões de euros da campanha de resposta global à Covid-19 da União Europeia, que reúne o Governo e mais 20 empresas.

As fundações são as entidades que mais doaram até agora, com cerca de seis milhões de euros, ou seja, 36,3% do montante obtido até ao momento. Bancos e instituições financeiras seguem na segunda posição, com 3,21 milhões de euros (19,5% das doações). As doações de particulares correspondem a 281 mil euros.

Graças ao fundo de emergência de cinco milhões de euros para a Covid-19, a Fundação Calouste Gulbenkian é a entidade que mais apoiou os esforços contra o novo coronavírus em Portugal.

“O Observatório de Doações tem como principal objetivo inspirar e continuar a promover esta solidariedade global a que se tem assistido nos últimos tempos. A luta contra este novo vírus faz-se com o apoio de todos e, enquanto recolhíamos informação para lançar esta plataforma, foi interessante verificar que a ajuda tem tomado diversas formas, e vindo de todos os setores”, explica Inês Santos Silva, diretora executiva da Aliados Consulting, citada em nota de imprensa.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de